sexta-feira, dezembro 15, 2006

O CANTE

O Cante, o nosso cante, precisa da nossa entrega e disponibilidade.

Quando se expressa, sabe ser reconhecido.

Resultado: O Cante, expressão monumental do Ser Alentejano.


Al-Zéi
FaiAlentejo

quarta-feira, dezembro 13, 2006

ITINERÂNCIAS

(foto de Patrícia Candeias)




CANTE D’ALMA

1. As Gentes e o Cante

Fazer percursos às terras do cante, com carácter de continuidade, conforme os motivos de interesse sazonais, festivos, monumentais, etc. Fazer um programa, envolver os grupos interessados e apelar à participação, levando sempre, em linha de conta os objectivos a definir.

2. Encontros de Cante

Começar a nível local e com os Grupos Corais que já são organizados, fazendo o seu enquadramento, ou seja, apreciar e pontuar os desempenhos de cada um, tendo em vista uma classificação final. Depois classificar os encontros.

Como factores classificativos levar em consideração, entre outros aspectos: a organização, a postura dos grupos, a adesão do povo e o desempenho dos grupos.

Elaborar programa para Encontros.

2.1. Concelhios
2.2. Distritais
2.3. Regionais
2.4. Nacional
Local: - BEJA;

Prémios: De participação (prémio de presença)
Diploma de presença com classificação

Periodicidade: - Anual;

Organização: - Constituir Comissões de apreciação e classificação em todos os concelhos e de entre eles constituir a comissão dos Encontros;

Elaborar programa de classificação final e distribuir por todos os grupos corais.