sábado, janeiro 16, 2016

TRATADO DO CANTE - Que modas, que modos?

CONCLUSÕES DO I CONGRESSO DO CANTE ALENTEJANO


Sessão de encerramento: Comissariado do Congresso: Luís Franganito, Joaquim Soares, Simão Miranda José Roque, Colaço Guerreiro, Fernanda Patrício, Manuel Coelho, José Pereira, José Pereira Júnior (não estão: Carlos Botelho e José Jesus).A ler as conclusões Artur Mendonça.
  
RESUMO DAS CONCLUSÕES:

Podemos sintetizar em seis pontos as grandes conclusões deste Congresso:

1. O incentivo à investigação da génese, ainda desconhecida, em certa medida, do cante alentejano, havendo quem sustente a sua origem gregoriana, eclesiástica ou cristã e quem advogue a sua origem arábica ou islâmica.

2. O desenvolvimento de esforços no sentido da constituição de um organismo que seja depositário da memória da idiossincrasia do cante alentejano - um arquivo audiovisual do Alentejo. Neste deverão figurar as gravações sonoras (comerciais ou de campo); os registos visuais dos grupos de cante entoando as melodias, narrando estórias da vida, etc.; os livros e diverso material iconográfico; os trajes; os objectos de artesanato, de trabalho, mineiro, rural, etc.; a colaboração com as Universidades ou outras escolas, onde leccionem especialistas do cante, poderá e deverá existir. Poderá este arquivo estar incluído num futuro Instituto Alentejano da Cultura e Desenvolvi-mento.

3. A inserção da teoria e da prática do cante alentejano nos programas escolares, havendo quem sustente essa incorporação nas escolas de ensino público e quem defenda a criação de escolas de cante independentes do poder do Estado.

4. A preservação da etnomusicologia alentejana como um todo (o cante, o despique, o baldão a viola campaniça), nesta matéria as opiniões dividem-se, os mais fixistas sustentam que os espectáculos de cante se devem realizar com o traje a rigor tradicional; outros evolucionistas advogam que o cante deve manter a sua genuinidade musical, mas as letras das canções e os trajes podem evoluir e ser adaptados a este final do século XX e a inclusão no cante da voz feminina.

5. A vinculação das autarquias em todos os concelhos alentejanos, na defesa e propagação do cante. As câmaras municipais deverão dar apoio logístico (transporte, sedes para grupos corais, imprensa, etc.) e financeiro aos grupos e escolas de cante, sem que estas caiam no domínio da política partidária.

6. A formação de uma federação de folclore alentejana - a Federação de Grupos Corais Alentejanos que poderá ser a força motriz da formação do arquivo audiovisual do cante alentejano e dos próximos Congressos do cante alentejano.



Beja, 9 de Novembro de 1997

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

Rancho Coral e Etnográfico de Vila Nova de São Bento
Junta de Freguesia de Vila Nova de São Bento
7830 Vila Nova de S. Bento, Serpa
                                              



Ficha Técnica:         
           
- O Grupo foi fundado em 1 de Maio de 1929.

- Ensaiam às quintas-feiras, na Ex. Cooperativa, pelas 19 horas.

- O Grupo é composto por 26 elementos:

- Trajo: Como rancho etnográfico, fazem representar as seguintes personagens: Feitor; Pastor; Almocreve; Ceifeiro; Boeiro; Varejador; Domingueiro.

- Histórico: Estiveram no Bicentenário da Independência dos Estados Unidos da América, no ano de 1976, com o Maestro Lopes Graça (Nesta digressão actuaram em sete estados). Tem actuações no Canadá, de Norte a Sul do País, no programa de TV: "Marginalidades" sobre Alqueva. Participaram em programas da Emissora Nacional, em 1939/40.

- Registos fonográficos: Tem quatro cassetes gravadas em: 1982, 1985, 1988 e 1994.

- Repertório: Cantam as "modas", mais representativas da sua terra: (K7 1994): Vila Nova de São Bento; Já se não veem nos campos; Levantei-me um dia cedo; Vai, vai marinheiro, vai; Ó Águia que vais tão alta; Chamaste-me extravagante; Abre-te campa sagrada; Menina estás à janela; Rosa branca, tu não vás; Estava dormindo, acordei; Vou-me embora, vou partir; No jardim a rosa branca; Ó Francisca, ó Francisca; Camponês; Lavoura antiga; Vila Nova de São Bento, teus campos são um jardim.

In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP.

Nota: Fotos tiradas na Feira do queijo de Serpa, em 2007.

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0042

1991 – (K7) Nossa Senhora do Carmo (Registo Sonoro) 



- Edição: Inter Fase

-  Modas: Saias à nossa moda; Quando da terra abalei; Eu nasci no Alentejo; Os cucos cantam assim; Minha aldeia é branquinha; Nossa Senhora do Carmo; Senhor roubado; S. João larão.


 Grupo Coral e Instrumental "Ecos do Alentejo", Loures

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF CA CD0042

Setembro 2000 – (CD) “Cante Popular Religioso – Pistas 1” (Registo Sonoro).



- Edição: FaiAlentejo.

- Cânticos: São João; Cântico ao Menino (Peroguarda); De Serpa Santa Maria; Ó Virgem Senhora d’Aires; Nossa Senhora do Carmo; O Bom Pastor; Quais são os três cavalheiros; Boas Festas; Cântico ao Menino (Messejana); Meia Noite.

Grupo À Capela

sexta-feira, janeiro 15, 2016

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

CASTRO VERDE

Associação de Cante Alentejano "Os Ganhões"

Travessa dos Aliados
7780 Castro Verde





Ficha Técnica:

- Os Ganhões agruparam-se em 1972. Reestruturaram-se em 1978. Constituíram-se em Associação em 1994.

- Ensaiam às Sextas feiras à noite.

- O Grupo é composto por 23/25 elementos.

- Trajo: Ganhão: Camisa quadrejada, azul clarinho, atada com nó à cintura; Lenço vermelho ao pescoço; Calça de cotim, cinzento (militar); Chapéu preto; Bota de couro; Safões de cabedal.  Adereços: Manta; Alcofa.

- Histórico: Tem uma média de 25 a 30 actuações por ano, em Encontros, Desfiles, Festas e Festivais. Das várias actuações, ao longo da sua existência e por todo o País, é de considerar: Um Primeiro lugar no Festival de Coros Alentejanos; Actuaram em 22 de Julho de 1993, em Toronto, no Canadá; Participaram em 1996 na iniciativa "Na Rota de Michel Giacometti", com uma actuação em Castro Verde.

- Registos fonográficos: Gravaram o seu primeiro disco, em 1975, com o título genérico "Castro Verde é nossa terra". Gravaram um LP em 1980.
. 1982 (reedição em 1990) (K7): Folclore de Portugal – 1º. Prémio  do 1º. Festival de coros alentejanos. Edição de METRO-SOM. Cota: FaiAlentejo: FF CA K7-0055
. 1984  (reedição em 1990) (K7): Cantares Alentejanos.  Edição de LUSOSOM. Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0053
. 1993 (CD) Modas. Edição da ETNIA e ROBI DROLI.Cota FaiAlentejo: FF CA CD0004
. 1996 (CD) É TÃO GRANDE O ALENTEJO. Edição da Associação de Cante Alentejano “Os Ganhões”. Cota Biblioteca Municipal de Beja: 0.71 GAN BMB CD02289. Cota Faialentejo: FF CA CD0005           
. 2003 (CD) O CÍRCULO QUE LEVA A LUA. Edição da Associação de Cante Alentejano “Os Ganhões”.

- Repertório: K7 (1990): Cantando na linda rama; Além daquela janela; Ó minha pombinha branca; Nós somos do Alentejo; Mas que noite tão serena; Algarve, Alentejo e Beiras; A primeira vez que eu disse adeus; Ceifeira, linda ceifeira; Guardo o meu gado no campo; A vizinha tem lá lume; Ia chegando às areias; O Infante D. Henrique; Só uma pena me existe; Lembra-me o tempo passado. CD Modas (1993): Afonso Henriques um dia; Nós somos do Alentejo; Pelo toque da viola; Eu sou Português; A Vila de Castro Verde; Já te não lembras de mim; Sou português emigrante; Vamos nós saindo; O Almocreve; Guardo o meu gado no campo; Muito bem parece; A ribeira do Sol posto; Mas que noite tão serena; Ceifeira, linda ceifeira; Nos campos de Castro Verde; Eu perdi o meu anel; Vai de centro ao centro. CD É tão grande o Alentejo (1996): Ia chegando às areias; Ao romper da bela aurora; Olha a noiva se vai linda; Ó Águia que vais tão alta; Vai de centro ao centro; A ribeira do Sol Posto; Mondadeira Alentejana; A Vila de Castro Verde; Camponês Alentejano; Castro Verde és um jardim; É tão grande o Alentejo.

In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP.
Nota: Fotografias tiradas no Encontro de Grupos Corais, em Ferreira do Alentejo, em 2009.

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota Faialentejo: FF CA CD0041

Maio 2000 – (CD) Vozes do Sul (Registo Sonoro).



- Edição de Audiopro, Lda.

- Grupos/ Outros: Cantadores do Redondo; Grupo Coral e Etnográfico “As Camponesas de Castro Verde”; Grupo Coral e Etnográfico da Casa do Povo de Serpa; Grupo Coral e Etnográfico “Os Ceifeiros de Pias”; Grupo Vozes do Sul; Bárbara Lagido, Catarina Salomé, Filipa Pais, Marta Salomé, Patrícia Salomé, Vitorino Salomé.

- Modas: Ao romper da bela aurora; Na rama do alecrim; Reis; Água do céu cais pura; Menina Florentina; Cavaleiro real; Ó vai á linda; Vai colher a silva; Castro terra de amores; Eu hei-de amar uma pedra; Salsa verde; Cantiga dos camponeses; Silva que estás enleada; Extravagante/cantar ao sol; Meu Alentejo querido.

Janita Salomé

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota Faialentejo: FF CA K7-0041

1986 – (K7) Dá-me um pinguinha de água (Registo Sonoro) 



- Edição: Inter Fase.

- Modas:   Ai não tem não tem; Sou português emigrante; Pirolito; Lisboa ó linda Lisboa; o Rouxinol; O Pastor alentejano; É lindo na Primavera; Não quero que vás à  monda; Dá-me uma pinguinha de água.

Grupo Coral e Instrumental "Ecos do Alentejo"

quinta-feira, janeiro 14, 2016

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

Grupo Coral "Os Ceifeiros" de Cuba

Rua Miguel Bombarda
7940 Cuba









Ficha Técnica:
- O Grupo foi fundado em 1933, por António José Fialho. A sua primeira apresentação pública ocorreu na Feira de Cuba, desse ano. Têm como patrono - Fialho de Almeida – que inspirou o nome do grupo no texto de sua autoria “ceifeiros”.

- Ensaiam às Quintas feiras, à noite.

- O Grupo é composto por 23/28 elementos.

- Trajo: O seu traje de ceifeiro, com todos os seus apetrechos, próprios daquela faina, representa uma das actividades mais marcantes do que foi o quotidiano das gentes de Cuba.
. Ceifeiro: calça xadrez, preta; colete xadrez, preto; camisa xadrez, azul; lenço vermelho com flores garridas; safões de cabedal; sapato de cabedal; chapéu preto.
. Adereços: Alforge; Foice; Canudos de cana.

- Histórico: Grupo com setenta anos de existência, tem levado o nome de Cuba e do Alentejo de Norte a Sul do País e ao estrangeiro. Destacam-se:
. A NÍVEL NACIONAL: Com uma média de 50 participações anuais, em Encontros e Festivais de Folclore, salientamos as seguintes: Encerramento do I Congresso do Cante Alentejano – NERBE; Centro Cultural de Belém – Espaço das 7 às 9; Chapitô – Lisboa; Rita Club – Lisboa; Pavilhão dos Desportos – Lisboa; Casa do Alentejo – Lisboa; Casa do Alentejo – Faro; Restaurante D. Tonho (Rui Veloso) – Porto; Alfândega do Porto (Programa Marés do Som; Chuva de Estrelas (Com Catarina Furtado) NERBE – Beja; Orfeão de Leiria (Programa de Voz Humana); Coliseu dos Recreios – Lisboa; Hotel Pôr do Sol – Castelo de Vide; Evorahotel – Évora; Hotel Navegadores – Monte Gordo; Hotel Alfa Golf 5 – Vila Moura; Hotel Albatroz – Cascais; Discoteca Casa Blanca – Cuba; Discoteca SA Sociedade Anónima – Ericeira; EXPO’98: no Pavilhão de Portugal (inauguração), Pavilhão dos Oceanos (Dia de Portugal, Pavilhão do Território (Dia do Alentejo).
. A NÍVEL INTERNACIONAL: Bazois – Bourgonhe – França, em 1994; Zubieta – Burgos (País Basco) – Espanha, em 1994; Estraburgo (Parlamento Europeu) – França, 1996; Tendúdia – Monastério – Espanha, em 1996.
. NA RÁDIO: Emissora Nacional; RDP - Antena 1 e Internacional; Rádio Vidigueira; Rádio Voz da Planície.
. EM FEIRAS, CERTAMES, EXPOSIÇÕES E FESTIVAIS: Feira de Cuba Leader “Alentejo Florido”; Feira da Agricultura – Santarém; FIALI Estremoz; OVIBEJA – Beja; Feira da Serra – São Brás de Alportel; Feira do Alentejo – Loulé; Festivais de Gastronomia em: Porto, Santarém, entre outros.
. NA TELEVISÃO: Programa Bom dia (Estúdios do Monte da Virgem), na RTP 1; Programa Acontece da RTP 2; Programa País, País, na RTP 1; Programa Cais do Oriente, na RTP 1.
. NO CINEMA: Filme documentário “Alentejo cantado” de Francisco Manso; Polifonias “Pace et Salute” de Michel Giacometti.
. TROFÉUS: 1º. Prémio no concurso de cantares, em Beja, em: 1946, 1958, 1962; 1964, 1972, 1985 e 1987. 2º. Prémio no concurso das províncias (Serafim Gonçalves), em 1966. 2º. Prémio no concurso de cantares, em Beja, em: 1971 e 1989. 3º. Prémio no concurso de cantares, em Beja, em: 1973, 1983 e 1988. 3º. Prémio no concurso de cantares, em Vidigueira, em: 1984. 2º. Classificado, em traje, no concurso de cantares, em Beja, em: 1987. 3º. Prémio do concurso de cantares alentejanos, em Beja no dia 3/7/2004.

- Registos Fonográficos: (7 Cassetes audio;1 single; 1 LP; 3 CDs (Participações))
                   1994 (K7): Grupo Coral "Os Ceifeiros de Cuba” (registo sonoro),
                            Edição de Maria L. S. H. Matos
                            Fonoteca Faialentejo: cota: FF CA K7-0048
                   1994 (CD ): Musical Traditions of Portugal (registo sonoro)
                            ed.: International Institute for traditional music
                            Fonoteca Faialentejo: cota: FF CA CD-0028
                   1995 (CD): Cante de Natal e Ano Novo (registo sonoro)
                            ed.: ImagemImenso, Lda.
                            Fonoteca Faialentejo: cota: FFCA CD-0024   
                   1998 (CD): O Cante da Água - Cante a Despique e Baldão
                            (registo sonoro) ed.: ImagemImenso, Lda.
                            Fonoteca Faialentejo: cota: FF CA CD-0023
                   2005      (CD) ... Da Alma do Povo
                            Editado por Grupo Coral Os Ceifeiros de Cuba
                            Fonoteca Faialentejo: cota FF  CA CD0056
 
- Repertório: A tradição vocal polifónica no Baixo Alentejo, localmente designada por cante é constituída por um reportório de modas, versos ritmados, cantados a duas vozes, em forma estrófica, sem acompanhamento instrumental. Algumas das suas modas: (1994): Deitei o limão correndo; Fui a um jardim florido; Ó minha pombinha branca; Eu hei-de me ir sentar no círculo que leva a lua; Alentejo, Alentejo; Ó mar largo, ondas fortes; O menino; Quem há-de Senhor, quem há-de; Margarida; A ribeira do Sol posto; Ao romper da bela aurora.

- Objectivos: Promoção e dignificação do cante alentejano; Divulgação das modas e dos modos de ser alentejano; Preservação da memória da idiossincrasia do cante alentejano e da etnomusicologia alentejana como um todo.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP.

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF  CA K7-0040

1997 – (K7) Cantigas de Norte a Sul (Registo Sonoro) 



- Edição: Inter Fase

- Modas: O passarinho está cansado; Lindas terras algarvias; O passarinho da Maria; A moça do rés do chão; Ó minha rosa encarnada; A mulher gorda; Hino ao Alentejo; Os nossos celeiros; Ai se o Alqueva regasse; Costa de Caparica.

Grupo Coral Instrumental "Norte Sul", Oeiras

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota Faialentejo: FF CA CD0040
2000/01 – (CD) Já cá vai roubado (Registo Sonoro).


- Edição: Casa da Cultura de Loulé.

- Modas: Eladina; Eu tenho um amor em Alte; Pombinha, passarinho, rolinha; Eu já fui à tua horta; Eu joguei limão correndo; puseram-se os dois se juntados; Não há noite mais alegre; Herodes; Sant’Antoino; Senhora Sant’Ana; Deu-me a mim muito trabalho; A marcela e o manjerico; Amora madura; Olá vizinha; Folia do espírito; Cantiga da rega; Donde vens Mariazinha; Palmira; Se fores à Quinta Nova; Já cá vai roubado; Amor serralheiro; Dona Mariana; Larinda; Tenho tosse; Já não acredito; Corridinho; Pastorinho; Bate, bate.

Moçoilas, Ourique.

quarta-feira, janeiro 13, 2016

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

Grupo Coral dos CTT de Beja
Estação dos CTT de Beja
7800 Beja


Ficha Técnica:               
      
- O grupo foi fundado em 1975.

- Ensaiam ao Sábado (quinzenalmente).

- A sua festa anual realiza-se em Dezembro.

- O Grupo é formado por 20 elementos.

- Trajo: Calça azul, escuro (ou preto); Colete preto; Camisa branca; Sapato preto;
Lenço regional.

- Histórico: Independentemente de várias actuações, depois da remodelação em 1996, o Grupo participou em diversas festas e encontros, destacando: Santarém, Lisboa; Funchal e Portalegre.

- Repertório: O Grupo inclui no seu reportório o genuíno cantar alentejano, não destacando "modas" em especial, mas um conjunto de cantares regionais.

- Este Grupo foi formado no âmbito da actividade do Centro de Desporto, Cultura e Recreio do Pessoal dos CTT (Correios), Delegação de Beja.

In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP.     

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

Grupo Coral Feminino Cantares do Xarrama, Torrão

Sociedade Primeiro de Janeiro Torranense
Rua 1º. de Janeiro
7595 Torrão





Ficha Técnica:
- Fundado em 1986, o Grupo tem um historial de 17 anos de existência com uma particularidade, interessante a referir: a Senhora que impulsionou a formação do grupo não nasceu no Alentejo, mas vive há muitos anos nesta vila; aqui casou, aqui lhe nasceram os filhos e aqui se apaixonou pelo cante alentejano. Além de saber cantar (gosta tanto de o fazer), concretizou o sonho de formar um grupo.

- Com os seus 18 elementos, de vários escalões etários, muito dificilmente e por circunstâncias várias consegue actuar na totalidade.

- De realçar que nenhum elemento deste Grupo sabe música.

- Ensaiam sozinhas e põem no ar as suas "cantigas" às Quintas Feiras, na Soc. 1º. de Janeiro Torranense, às 21 horas.

- O Grupo é composto por 19 elementos:                
- Trajo: Camisa verde (Seara); Saia Preta (Azeitona).

- Histórico: Estrearam fora da sua terra, em 1987 e na Casa do Alentejo em Lisboa. Durante a sua existência já contam com  mais de três centenas de actuações, por todo o País. Têm uma média, anual de 15 a 20 vezes, de acordo com as solicitações. Participam com regularidade em Encontros de Grupos Corais, Desfiles e Festas. De salientar as actuações:
·        no Teatro Luísa Todi em Setúbal;
·        no Festival de cinema em Tróia;
·        no Pátio Alfacinha;
·        no Onda Park da Costa da Caparica;
·        na Aula Magna em Lisboa;
·        no Centro Cultural de Lisboa
         
- Registos Fonográficos:
                                 1988 – (K7) S/T (Registo Sonoro)
                                           ed. Edições Carlino
                                           Fonoteca Faialentejo: cota: FF CA K7-0066
                                 1993 – (K7) Torrão de Alicante
                                           ed. Alberto Oliveira
                                           Fonoteca Faialentejo: cota: FF CA K7-0006
                                 1999 – (K7) A minha terra é o Torrão
                                           ed. V. R. - Estúdio Editora – Alcácer do Sal
                                           Fonoteca Faialentejo: cota: FF CA K7-0090
                                 2004 – (CD) Canções camponesas de Portugal
                                           ed. Canto Lindo Espectáculos Culturais
                                           Fonoteca Faialentejo: cota: FF CA CD-0052


- Repertório: As "cantigas" que tem no seu repertório, são autoria de um grande Senhor da música, do teatro e da poesia, que nasceu nesta Vila. O sempre lembrado Vicente Rodrigues. Alguns elementos, que fizeram parte do grupo de teatro, coordenado por Vicente Rodrigues, com a experiência aí colhida foi mais fácil cantar as suas "cantigas". A família de Vicente Rodrigues ofereceu à Junta de Freguesia do Torrão, todo o seu espólio cultural e é aí que os membros do Grupo vão escolher as "cantigas". Salientamos: Ó Xarrama; Ai que o Sol já vai a pino; Trigueirinha; Chegou a Primavera; A flor do rosmaninho; Olha lá tu ó poeta; Onde estás tu; Primavera; Ó Xarrama dos penedos; O tomilho; As leiteirinhas; Torrão de Alicante; Flores da Minha Terra; Trevo; Ceifeiro; Toda a terra tem um fado; Desejo alentejano; Canto à Terra; Amora negra; Verde; O Rio Xarrama hino).

- Objectivos: Levar o Cante Alentejano por este País fora.

In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP.

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF CA CD-0039

2003 (CD): Terra de Abrigo (registo sonoro).



- Edição: Ronda dos Quatro Caminhos.

- Grupos: Grupo Coral e Etnográfico do Ateneu Mourense; Grupo de Cantadores de Saias de Campo Maior; Grupo Coral Etnográfico Cantares de Évora; Grupo Coral da Casa do Povo de Serpa; Grupo Coral de Baleizão; Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento. Orquestra Sinfónica de Córdoba.

- Convidados: Amina Alaoui; Esperanza Fernandez; José António Rodriguez; Katia Guerreiro; Pedro Caldeira Cabral.

- Temas: Gota de água; o Almocreve; Vizinha tem cá lume; Erva cidreira; Não quero que vás à monda; Laranja da china; Águia; Fui-te ver estavas lavando; Saias raianas; Limoeiro; Olha o Rouxinol II; Uma estrela se foi pôr; O voo do Açor.

Ronda dos Quatro Caminhos e Coros do Alentejo com a Orquestra Sinfónica de Córdoba.