sábado, abril 15, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

BEJA – Beja

Grupo Coral do CDCR dos CTT de Beja
Estação dos CTT de Beja
7800 Beja



Ficha Técnica:   
        
- O grupo foi fundado em 1975.

- Ensaiam ao Sábado (quinzenalmente).

- A sua festa anual realiza-se em Dezembro.

- O Grupo é formado por 20 elementos.

- Trajo: Calça azul, escuro (ou preto); Colete preto; Camisa branca; Sapato preto;
Lenço regional.

- Histórico: Independentemente de várias actuações, depois da remodelação em 1996, o Grupo participou em diversas festas e encontros, destacando: Santarém, Lisboa; Funchal e Portalegre.

- Registos fonográficos:
2009 – CD “O Carteiro”. Edição do Grupo Coral do CDCR dos CTT de Beja.



- Repertório:O Grupo inclui no seu reportório o genuíno cantar alentejano, não destacando "modas" em especial, mas um conjunto de cantares regionais.

- Este Grupo foi formado no âmbito da actividade do Centro de Desporto, Cultura e Recreio do Pessoal dos CTT (Correios), Delegação de Beja.

In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP.  Edições Margem. 1997. Pág.s: 111/112.

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

BEJA - Baleizão

Grupo Coral de Baleizão
Rua do Vinho, 3
7800 – 611 Baleizão






Ficha Técnica:

- O Grupo foi fundado em 19 de Maio de 2002.

- Ensaiam às quintas feiras, às 21:00 horas, na Casa do Povo de Baleizão.

- O Grupo é composto por 26 elementos.

- Trajo: Camisa quadrejada, calça de cotim militar, lenço rameado, chapéu preto, botim de couro.

- Histórico: Têm uma média de 25 actuações por ano, sendo: 10 no Alentejo; 15 fora do Alentejo.

- Registos Fonográficos:               
. 2003 (CD): Terra de Abrigo. Edição: Ronda dos Quatro Caminhos. Cota: FF CA CD-0039


. S/D – (CD) oh! Baleizão Baleizão... Editado por Grupo Coral de Baleizão. Cota: FF CA CD-0053


- Repertório: Cantam as modas tradicionais alentejanas, das quais destacamos: Aldeia de Baleizão; Ai, ai, meus senhores; Meu lindo Alentejo; Cabelo entrançado; Lindo ramo verde escuro; Dáme um beijo, morena; Ó águia que vais tão alta; Há lobos sem ser na serra; Um rancho de mondadeiras; Ó vizinha tem cá lume; Do alto da minha aldeia; Ó Baleizão, Baleizão

- Projectos: Preservar e dignificar o Cante Alentejano; Renovar o reportório com modas novas e do cancioneiro.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP.

sexta-feira, abril 14, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

BEJA – Albernôa

Grupo Coral da Casa do Povo de Albernôa
Casa do Povo de Albernôa
7800 Albernôa




 Ficha Técnica:             

. O Grupo foi fundado em Abril de 1996.

. Ensaiam às Sextas feiras, na Casa do Povo, à noite.

. O Grupo é composto por 25 elementos

. Trajo: Calça preta; Colete preto; Camisa branca; Chapéu preto; Lenço verde.

. Histórico: Tem actuações, no ano de 1996 em: Albernôa; Salvada; Penedo Gordo; NERBE em Beja.

. Registos fonográficos: Nada a registar.

. Repertório: Cantam as modas que se cantam no Alentejo, das quais destacamos: Alentejo és nossa terra; Trigueira de raça; Almocreve; Nasce o Sol em Albernôa (letra de Eliseu Mestrinho); É tão grande o Alentejo; Pelo toque da viola; Lá vai uma embarcação; Vamos lá saindo; Ceifeira do Arrozal; Vou partir p'ró o Canadá; Mas que noite tão serena; O Alentejo dá pão; No poço das fontainhas (Letra de Martinho Marques); Venham ver o Alentejo; A voz do manageiro; Por essas campinas.

Nota: Está inativo.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 101/102.

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

BEJA – São Matias

Grupo Coral do Centro Cultural e Desportivo de São Matias
7800 São Matias BJA




Ficha Técnica:             

. O Grupo foi fundado em 20 de Maio de 1986.

. Ensaiam às Sextas feiras à noite.

. O Grupo é composto por 32 elementos.

. Trajo: Domingueiro: Camisa branca; Jaqueta cinzenta; Calça cinzenta; Lenço quadrejado (branco e preto); Chapéu preto; Sapato preto.

. Histórico: Fazem uma média de 15 a 20 desempenhos por ano, em todo o País, com especial relevo, para as actuações no Alentejo e na zona da grande Lisboa em Encontros, Desfiles, Festas e Festivais.

. Registos fonográficos: Não tem qualquer gravação, embora já tenham gravado para particulares e para estações de rádio, no Alentejo.

Repertório: As "modas" que cantam são as que perduram em todo o Alentejo e onde há alentejanos. Sendo as letras, quase todas (90%), feitas por elementos de São Matias. Algumas das modas que cantam: O Alentejo é leal; Alegremente cantando; Alentejo, Alentejo; Sai o rebanho p'ró prado; Vi passar o gavião; Os nossos grupos cantando; Doce, alegre moreninha; Estava eu lá no meu monte; Já fui moço de recados; As moças da minha aldeia; Vai a noiva para o altar; Juntam-se os pastores nas feiras; Acordo cedo, cantando; Na Primavera nascem flores; Deitei o arado à terra; No jardim da rosa branca; É tão grande o Alentejo.

Nota: Este Grupo não está em atividade.


In: “Corais Alentejanos” (em atualização). De JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 117/118

quinta-feira, abril 13, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

BEJA – Cabeça Gorda

Grupo Coral da Freguesia de Cabeça Gorda
Av. Alonso Gomes, 74 - 7800 Cabeça Gorda
Telefone: 284947294 Telemóvel: 962458880

 




Ficha Técnica:                  

. O Grupo foi fundado em 1996.

. Ensaia todas as quintas feiras na Casa do Cante na Praça Magalhães de Lima, Cabeça Gorda.

. Mestre ensaiador: Sr. Francisco Horta.

. O Grupo é composto por 24 elementos.

. Trajo: Calça Castanha; Camisa creme; Lenço Verde.

. Histórico: Desde a sua constituição que participam em encontros e festas no Alentejo e na zona da Grande Lisboa, de onde recebem diversos convites para atuação. “Quando podemos lá vamos com toda alegria levar o nosso Cante Alentejano de que tanto gostamos”. Destacam-se as  …

. Registos fonográficos:
1998 (CD): O Cante da Água - Cante a Despique e Baldão.
- Edição: ImagemImenso, Lda.
Grupos: Cante ao Baldão; Os Ganhões de Castro Verde; Coral de Alvito; Os Ceifeiros de Cuba; Coral da Freguesia de Cabeça Gorda; Os Arraianos de Barrancos; Os Mineiros de Aljustrel; Os Rurais de Figueira de Cavaleiros; Os Amigos da Vidigueira; Os Camponeses de Pias.
Modas: Cante ao Baldão; Mar alto; Lá vai uma embarcação; Dá-me uma pinguinha de água; Mas que praias tão lindas; Cante ao baldão; Estrelinha do Norte; Margarida; A água do céu cai pura; A ribeira quando enche; Cante ao baldão; A minha pena fugaz; Ondinhas vêm; As nuvens que andam no ar; Sines és porto de mar; Cante ao baldão; A barragem do Alqueva; Oh Mariazinha; Vou deixar o Alentejo; Eu sou marinheiro; Ribeira do Enxoé; Água do céu cai pura.
Cota: FF CA CD-0023 – FaiAlentejo


1999 (CD): Encontro de Grupos Corais em Montoito (gravado ao vivo)
- Edição: ALIENDE – Associação para o Desenvolvimento Local
- Grupos: Suãozinho; Cantares de Évora; Flores do Alentejo de Cuba; Casa do Povo de Reguengos de Monsaraz; Alentejano da Brandôa; Pastores do Alentejo de Torre dos Coelheiros; Bombeiros Voluntários de Beja; Freguesia da Cabeça Gorda; Etnográfico de Viana do Alentejo; Alentejanos Residentes em Tires; PLURICOOP de Pinhal Novo; Trabalhadores de Montoito.
- Modas: Estas é que são as Saias; Nuvens; Olha o Passarinho; Trigueira de raça; Cabelo entrançado; Minha linda vila; O meu bairro é a Brandôa; Pastores do Alentejo; O Alentejo está triste; Ó Águia que vais tão alta; Ainda agora aqui cheguei; Verão; Macela, macelinha; Silva; Sobreiro; Vila de Portugal; Moda dos Mineiros.
Centro Rural de Montoito
Cota: FF CA CD-0026 – FaiAlentejo
Cota: 071.3 - ENC - CD 5511. Catálogo Cante Alentejano (Polo da Baixa da Banheira da Biblioteca da Moita).


2006 – (CD) “O Cante da nossa terra”.
Edição: Grupo Coral da Freguesia de Cabeça Gorda.
Cota FaiAlentejo: FF CA CD0076


. Repertório: Cantam as modas que se cantam pelo Alentejo, das quais destacamos as do CD editado em 2006: Os trabalhadores, Ó minha pombinha branca, Lavoura antiga), Venham ver o Alentejo, Ó águia que vais tão alto, Santo Antoninho da serra, Alentejo terra da minha paixão, É tão grande o Alentejo, Água do céu cai pura, Igreja da nossa terra, Guardo o meu gado no campo, Que inveja tens tu às rosas, Oliveira da serra, Não cheires a rosa amor, Roseira enxertada, Rosa branca desmaiada, Quando eu era ganhão, Ó Mariazinha onde tens a fonte.

. O grupo anualmente faz um encontro de grupos corais para celebrar o seu aniversário, onde leva à Freguesia vários grupos convidados.



In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 113/114.

quarta-feira, abril 12, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

BEJA – Salvada

Grupo Coral da Casa do Povo da Salvada
Junta de Freguesia da Salvada
Praça 5 de Outubro - 7800 Salvada







Ficha Técnica:
        
- O Grupo foi fundado em 1992.

- Ensaiam às Terças e Sextas-feiras, à noite, na Casa do Povo.

- O Grupo é composto por 22 elementos.

- Trajo: Camisa quadrejada em vermelho e branco; Colete azul; calça azul.

- Histórico: Tem actuado em vários pontos do País, com especial destaque para os desempenhos no Alentejo e na zona da grande Lisboa, onde participam em Encontros de grupos corais, Desfiles e Festas. Tem uma presença em França, para a comunidade portuguesa, emigrante.

- Registos fonográficos: Nada a registar.

- Reportório: É composto pelas modas que se cantam por todo o Alentejo, com as letras adaptadas ao momento actual e à zona onde estão inseridos. Salientamos as seguintes: Ó Salvada, Ó Salvada; Abalei do Alentejo; Nasce o Sol no Alentejo; Santo Antoninho da Serra; Moreninha Alentejana; Pastor serei toda a vida; É lindo na primavera; O rouxinol quando canta; Morena de raça; Cidade de Beja; O Alentejo é nossa terra; Tenho lá no meu quintal, uma roseira enxertada; É tão grande o Alentejo; Ó lavradora do monte; Sou pobre trabalhador; Vamos lá andando mais devagarinho.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 115/116.

terça-feira, abril 11, 2017

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

BEJA – Beringel

Grupo Coral do Externato António Sérgio de Beringel, Beja
Rua Dr. Carlos Moreira, 4 - 7800 Beringel




Ficha Técnica:        
        
- O Grupo foi fundado em 13 de Outubro de 1987.

- Ensaios às quintas feiras à noite.

- O Grupo é composto por 26 elementos.

- Trajo: Calça azul, escura; Colete azul, escuro; Camisa azul, clarinha; Lenço às bolas, azuis e brancas; Chapéu preto.

- Histórico: Encontram-se em actividade desde a sua fundação. Tem uma média de 15 a 20 desempenhos por ano. Participam com regularidade em Encontros, Desfiles e Festas, com a intenção de divulgarem o "cante" Alentejano e com maior incidência no Baixo Alentejo e zona da grande Lisboa, onde a comunidade de Alentejanos é mais representativa. Tem vários desempenhos em Casinos do Algarve. …

- Registos fonográficos:
1989 (K7): “Grupo Coral do Externato António Sérgio de Beringel”
Edição de DISCONORTE.
Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0085


1993 (K7): “Uma Triste Novidade”
Edição de AO edições Musicais.
Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0086


- Repertório: Cassete (1989): Lembro-me do tempo passado; Abre-te ó campa sagrada; Ó Moura Linda; O Alentejo dá pão; Cegonha; Mondadeira Alentejana; Ao romper da madrugada; Linda jovem era pastora; O Alentejo é tão lindo; Beringel é pequenino. Cassete (1993): Alentejo dourado; Vá-se embora seu maroto; Viva Portugal; Beringel de antigamente; Pelo toque da viola; Cantarinhas de Beringel; Quem não trabalha no campo; Ó meu Alentejo; Ao romper da Madrugada; Nosso Lindo Portugal; Uma flor que abriu em Maio; Uma triste novidade.



In: "Corais Alentejanos" (em actualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 103/104.

segunda-feira, abril 10, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

SILVES – Tunes

Grupo Coral Alentejano de Tunes

Associação das Comunidades de Tunes
 8365 – 235 Tunes





FICHA TÉCNICA:

. O Grupo Coral Alentejano de Tunes foi fundado a 18 de Junho de 2003 por um grupo de 8 alentejanos radicados em Tunes, concelho de Silves. Antes do início dos ensaios, juntava-se um pequeno grupo de alentejanos num café, normalmente ao fim de semana, onde depois do convívio davam asas às recordações de infância ou simplesmente às vivências que recordavam dos tempos em que viviam no Alentejo. Um dia confrontando o Presidente da Junta, Sr. José Cebola, para disponibilizar um local onde pudessem ensaiar, tiveram como resposta imediata, o salão da Junta de Freguesia de Tunes, disponível para a população de Tunes e suas iniciativas. Desta forma reuniram mais alguns elementos e começaram os ensaios, sob a direcção de Joaquim da Conceição Hilário, antigo elemento do Grupo Coral da Brandoa.

. Ensaiam no Salão da Associação das Comunidades de Tunes.

. O Grupo é composto por 20 elementos.
       
. Trajo: Calça e colete, pretos; camisa branca; lenço verde; chapéu preto.

. Histórico: A primeira atuação fora do Algarve aconteceu em Dezembro de 2003, no jantar de Natal da Liga Portuguesa das Doenças Reumáticas. O ano de 2004 foi o ano de implantação do Grupo no Algarve com inúmeras atuações, tendo iniciado esse ano participando em espetáculos de Janeiras em S. Bartolomeu de Messines e Silves.
. Repertório: Cantam as modas tradicionais alentejanas, das quais destacamos: Dá-me uma pinguinha de água; A cegonha; Vamos lá saindo por esses campos fora; Querido Alentejo Leal – Original;  O pastor alentejano; As nuvens que andam no ar; Os lírios;  Trigueirinha alentejana; Romana; Fui colher uma romã; Nos campos do Alentejo; A rolinha – Original; As velhas do Alentejo; Bom dia; Tunes bom dia – Original; Estava dormindo acordei; Eu despedi-me a chorar; Grândola Vila Morena; Ó Matilde levanta a saia.
                   Registos fonográficos:
No dia 29 de Maio de 2005, no Restaurante Paraíso do Algarve, realizou-se o 3º Almoço Convívio do Grupo Coral Alentejano de Tunes. Este ficou marcado pelo lançamento do 1º trabalho discográfico do grupo, que se encontra disponível sob a forma de CD ou cassete. Este trabalho é composto por 13 modas, das quais duas são originais “Meu querido Alentejo Leal “ e “A rolinha “ escritas pelo poeta algarvio Leonardo Viegas.
Gravaram um CD “Tunes terra de amores”, em 2016. Este 2º. trabalho reflete uma interpretação do grupo muito singular, de temas e modas que fazem parte do cancioneiro alentejano. Neste último trabalho destaca-se o original escrito pelo poeta algarvio Manuel Narciso – “Tunes terra de Amores” que dá nome ao cd. Fizeram parte deste cd os elementos referidos abaixo. Um trabalho que não seria possível sem o apoio da União de Freguesias de Tunes e Algoz e a disponibilidade do Centro Pastoral de Pêra.

. Realizam Encontro de Grupos Corais por altura do seu aniversário.



. Projetos:
É com persistência e força de vontade que o grupo se mantem a “levar consigo as suas tradições e o prazer de cantar”, pois que não há cachet que pague esta paixão. Os projetos mais prementes são uniformizar o traje domingueiro que ostentam nas atuações, recrutar mais elementos e poder continuar a atuar e a divulgar o seu amado Alentejo.
Nota: Informações recolhida nas páginas da internet: www.terraruiva.pt texto de Paula Bravo e www.joraga.net/gruposcorais.  


In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP.

domingo, abril 09, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

VIANA DO ALENTEJO – Alcáçovas

Grupo Coral Feminino Etnográfico “Paz e Unidade”
Associação Cultural e Recreativa Alcaçovense
Rua dos Sevilhanos, 15 - 7090 – 054 Alcáçovas
Telef. 266 954 125







FICHA TÉCNICA:

. Grupo constituído em 30 Abril de 2000.
O cante alentejano, que uns defendem ter raízes no canto gregoriano e outros com origem nas profundezas do espírito árabe, é a manifestação cultural mais marcante do povo que vive disperso na imensidão da planície a sul do Tejo.
No entanto, esta forma organizada, com ensaios e atuações em palco que hoje temos, surge só no início na década de 50, e, ainda só para os homens. A condição, o estatuto e o papel da mulher nesta altura permitiam-lhe apenas cantar na ida, vinda e durante o trabalho no campo.
Durante mais algumas décadas foi assim. Mas o silêncio das vozes femininas terminou nos anos 70/80, permitindo assim que as mulheres possam contribuir para o enriquecimento cultural do Alentejo.
É assim que um grupo de mulheres se junta em Alcáçovas e forma o Grupo Coral Feminino Etnográfico “Paz e Unidade” de Alcáçovas, inserido na Associação Cultural e Recreativa Alcaçovense. Surgiu com a finalidade de participar num espectáculo de comemoração do Ano Santo, em 30 de Abril de 2000, no Santuário de Nossa Senhora d’Aires, em representação da paróquia de Alcáçovas e, por sugestão do seu pároco de então, cónego Salvador Dias Terra.
Como a experiência se revelou estimulante e tratando-se de pessoas que gostavam do cante alentejano, que na sua maioria passavam o dia a cantar enquanto realizavam os trabalhos do campo, quiseram levar por diante aquela iniciativa e constituíram o Grupo Coral.

. Ensaiam às quintas feiras às 20h00 horas, na Associação Cultural e Recreativa Alcaçovense.

. O Grupo é composto por 25 elementos.

. Trajo: Recrearam os fatos que a mulher vestia nos vários momentos da sua vida (ceifar, mondar, apanha azeitona, costurar, fazer pão, fazer queijo, tarefas domésticas, fato domingueiro...). Vestuário usado antigamente nas Alcáçovas.

. Histórico:
Fez a sua primeira actuação no estrangeiro de 27 a 30 de Novembro de 2008, em Praga, Republica Checa, onde participou no XVIII International Festival of Advent And Christmas Music.
Em 5/12/2009, participou no programa da RTP “Portugal Sem Fronteiras”, levando assim um pouco da sua Terra e do Cante Alentejano “aos quatro cantos do mundo”.

Tem participado em Encontros de Grupos, Festas Populares, Festas Particulares, Cante ao Menino, Reis e Janeiras, Feiras de Turismo, de Artesanato… Concretamente no ano de 2009, participou na Feira Internacional de Artesanato de Lisboa.

O Grupo regista uma média de 25-30 actuações por ano, sobretudo em eventos a sul do Tejo.

                   . Registos fonográficos:      
S/D – (CD) “Viana do Alentejo Um Concelho a cantar”
- Edição: CM Viana do Alentejo.
- Modas: Quá quá (Seara Nova), Monda (Seara Nova), Saudades do Alentejo (GCF Paz e Unidade), É bonito ver o prado (GCF Paz e Unidade), Ó Virgem Senhora d’Aires (GC Velha Guarda), Meu lindo Alentejo (GC Velha Guarda), Passarinhos para que voas (GC Cantares das Alcáçovas), O nosso celeiro (GC Cantares das Alcáçovas), Estava sentado à porta (Transtagano), Primavera (Transtagano), Alqueva do Alentejo (GC Trabalhadores das Alcáçovas), Lindo Alentejo (GC Trabalhadores das Alcáçovas), Ceifeirinha Alentejana (GCF de Viana do Alentejo), Venham ver o Alentejo (GCF de Viana do Alentejo), O Alentejo é lindo (GCE de Viana do Alentejo), Viana terra tão linda (GCE de Viana do Alentejo), …
Grupos Corais de Viana do Alentejo.
Cota FaiAlentejo: FF CA CD0089


 Gravaram e ditaram um CD em 2010.

. Repertório:
Canta modas tradicionais alentejanas, as quais vai conseguindo através de pesquisa junto de cantadores mais idosos e no cancioneiro, das quais destacamos: Dá-me uma pinguinha d´água; As nuvens que andam no ar; Ceifeira do arrozal; Ceifeira; É lindo na primavera; Vila das Alcáçovas; Entrai pastores, entrai; A ribeira quando enche; Aldeia das Amoreiras; Um pardal; Minha pombinha branca; Quando um homem está só; É bonito ver no prado; A minha tia padeira; Ai Jesus, que rapariga é esta; D. Dinis; Saudades do Alentejo; Trigueira de raça; Trigueirinha alentejana; Vai colher a silva.

. Realizam Encontros de Grupos por ocasião do seu aniversário, assim como outras actividades nomeadamente colóquios sobre o Cante Alentejano com a participação de Especialistas nesta área e de representantes de Entidades relacionadas com o mesmo.



In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP.