sábado, dezembro 19, 2015

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

Grupo Coral "Voz do Alentejo" de Vila de Frades, Vidigueira



Ficha Técnica:
- O Grupo foi fundado em Agosto de 1978.
- Ensaiam às Terças feiras, à noite. 
- O Grupo é composto por 24 elementos: 
- Trajo: Colete castanho; Calça azul; Camisa azul, clarinha; Chapéu preto; Lenço rameado, com barra azul.
- Histórico: Fazem entre 15 a 20 desempenhos por ano, em todo o Alentejo e na zona da grande Lisboa, onde se realizam: Encontros de Grupos Corais, Desfiles e Festas. Salientamos algumas:
Lisboa (Casa do Alentejo); Odivelas; Brandôa; Barreiro; Baixa da Banheira; Amadora; Vidigueira; Cuba; Ferreira do Alentejo; Beja; Évora; Portalegre. Fizeram uma gravação para Televisão, na SIC.
- Repertório: As "modas" que cantam são as que representam a zona onde se inserem e que conseguiram resistir às barreiras do tempo. A actualização das letras é da responsabilidade do Sr. Sebastião Miguinhas.

Foto tirada no Encontro de Grupos Corais em Cuba no dia 22/6/1997.
Nota: Este Grupo não está em actividade. 

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo Coral Etnográfico "Cantares do Alentejo" - Évora



- 1987 (Cassete): Évora Património Mundial (registo sonoro)
- Edição: Grupo Coral Etnográfico "Cantares do Alentejo" - Évora
- Modas:   Alentejo que és nossa terra; Fui-te ver estavas lavando; Se fores ao Alentejo; A vinda do rei a Beja; Olha o passarinho; Terra sagrada do pão; Menina estás à janela; Extravagante; Trigueira de raça; Tenho barcos, tenho remos; Olha a noiva se vai linda; Águia; Rapsódia; Estava de abalada.

Cota: FF  CA K7-0016 - FaiAlentejo

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

“Trigais em Flor” Grupo Coral e Instrumental.



- 1987 (LP) vinil “Alentejo meu amor” (registo sonoro).
- Edição: INTERFASE.
- Modas: Parreirinha; Vai colher a silva; Marcela; As nuvens; Brinches que és minha terra; Olha o passarinho; Meus senhores que rapariga é esta; Eu ouvi, mil vezes ouvi; Vila Franca tem.

Cota: FF CA LP-016 - FaiAlentejo

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo Rouxinóis do Alentejo, Beja. 



- 2002 – (CD) Ciclos do Pão e do Azeite (Registo Sonoro),
- Edição: da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Beja.
- C. Pão: Ao romper da bela aurora; Rouxinol repenica o cante; As Nuvens que andam no ar; Estando eu à porta assentado; Fui colher uma romã; Não quero que vás à monda; Menina estás à janela; Eu ia pela rua quando ouvi; Vamos lá saindo.
- C. Azeite: Nasce o sol no Alentejo; Que inveja tens tu das rosas; Quais, quais, oliveiras, olivais; Ó rama, ó que linda rama; Tem coisas Ti Manel, tem coisas; Eu subi ao cerro do alto rochedo; Ó menina Florentina; Além daquela janela.

Cota: FF  CA CD0016 - FaiAlentejo

sexta-feira, dezembro 18, 2015

TRATADO DO CANTE - À procura das origens do Cante



"CITAÇÕES DAS CARTAS DE CLENARDO (1493 ou 1494 – 1542)



As páginas do livro de M.G . Cerejeira referem-se à edição de 1974.



Verum ubi primum ingressus sum Eboram, putabam me venisse in civitatem aliquam Cacodæmonum; tot ubique occurrebant Æthiopes, quos ego sic detestor, ut vel soli queant me hinc depellere. (24)


Mal pus pé em Évora, julguei-me transportado a uma cidade do inferno: por toda a parte topava negros, raça por que eu tenho tal aversão, que só eles por si bastariam para me fazer abalar daqui. (Cerejeira, 258)




Si qua gens ignavo ocio dedita est, nisi sit Lusitanica, nulla est prorsus. Loquor de nobis hic potissimum, qui ultra Tagum incolimus et Africa propius olfacimus. (17).

Se há algum povo dado à preguiça, sem ser o português, então não sei eu onde ele exista. Falo sobretudo daqueles que habitam além do Tejo e que respiram de mais perto o ar de África. (Cerejeira, 251)"


No Facebook o comentário de:
Feliciano de Mira
"Clenardo chegou a Portugal em 1533 para ser mestre do infante D. Henrique, irmão do rei D. João III e sem meias-palavras, relatou: “Mal pus os pés em Évora, julguei-me transportado a uma cidade do inferno, por toda a parte topava negros.” E quantos segredos estão por desvendar ? Entre outros, a situação dos escravos negros reprodutores no Paço Ducal de Vila Viçosa, a mais importante casa nobre portuguesa, assim como as influências dos cantos dos escravos na configuração do Cante Alentejano que a pouco e pouco estão a ser estudados e dados a conhecer."




TRATADO DO CANTE - Grupos Corais

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

Grupo Coral Etnográfico "Os Arraianos"de Vila Verde de  Ficalho, Serpa.

Sociedade Recreativa 1º. de Dezembro
Largo Amílcar Pinto, 10 - 7830 Vila Verde de Ficalho
          

Ficha Técnica:
          
- O Grupo foi fundado em 1937.

- Ensaiam às Terças e Sextas feiras, à noite, na Sociedade Recreativa 1º. de Dezembro.

-  Realizam o seu Encontro de Grupos Corais em Agosto.

- O Grupo é composto por 25 elementos.

- Trajo: Calça azul, escura; Colete preto; Camisa branca; Lenço vermelho; Chapéu preto, de aba direita.

- Histórico:Tem feito demonstrações de "cante" por todo o país, merecendo referência as actuações em: Matosinhos; Aveiro; Lisboa; Águeda; Mamarosa (Oliveira do Bairro); Braga. No Estrangeiro já actuaram em: Strasbourg (Parlamento Europeu). Participam em Encontros de Grupos Corais, Desfiles e Festas, no Alentejo e na zona da grande Lisboa.

- Repertório: Cantam as modas mais representativas da sua região, sendo de salientar o conjunto de modas que fazem parte da K7 de 1996: Povo de Ficalho; Abre-te campa sagrada; Barragem do Alqueva; Fui ao jardim passear; Pelo toque da viola; As nuvens que andam no ar; Silva que estás enleada; Vamos apanhar a rosa; Ó Águia que vais tão alto; Subi um dia ao alto de um rochedo; Que inveja tens tu da rosa; É linda a Primavera; Olha o passarinho; Malmequer; Uma flor que abriu em Maio; A Primeira que eu disse adeus; Castelo de Beja; Esta noite sem fim; A ribeira quando enche; Senta-te aqui ó António; Rosa branca desmaiada; Lindas são as rosas; Vou passar a ribeirinha; É tão grande o Alentejo; Maria da Castanheira; Vou colher a silva; Tenho no quintal um limoeiro; Rosa enjeitada; Trabalhei a vida inteira; Alentejo nossa terra; Ó minha branca; Dá-me 

- Registos Fonográficos: Gravaram um "single", com as modas: Ó Águia que vais tão alto e Marianita és baixinha. Em1982 - (K7): Modas Populares do Concelho de Serpa (registo sonoro) ed.: Câmara Municipal de Serpa. Fonoteca Faialentejo: cota: FF  CA K7-0056. Em 1996 – (K7) Os Arraianos (Registo Sonoro), ed. SONOVOX, SA. Fonoteca Faialentejo: cota: FF  CA K7-0061

in: "Corais Alentejanos", de JFP. Edições Margem. 1997.

Nota: Fotografia tirana na Amareleja, durante um Encontro de Grupos Corais em 24/6/1995.

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo Coral e Instrumental "Ecos do Alentejo", Loures.



- 1995 – (CD) O Melhor do Alentejo (Registo Sonoro),
- Edição: INTERFASE - Lisboa
- Modas: O pastor pôs-se a pensar; As terras do Alentejo; Primavera em flor; Sines tem porto de mar; Quero ir ao Alentejo; Alto pinheiro ramudo; Nós somos alentejanos; Tanta terra abandonada; Nos campos cantam os grilos; Cantarinhas de Beringel; Saia do Alto Alentejo; Nostalgia; Manhã fresca; Ceifeiras; Saias à nossa moda; Saias do Alentejo.

Cota: FF  CA CD0015 - FaiAlentejo
Cota: 071.4 - ECO - CD 5514. Catálogo Cante Alentejano (Polo da Baixa da Banheira da Biblioteca da Moita).

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo Coral da Casa do Povo de Santo Aleixo da Restauração, Moura



1988 (K7): Cante Alentejano (registo sonoro)
- Edição: DUPLISOM
-Modas:   Barco à vela; Anda cá meu lindo amor; Alentejo dourado; e outras.

Cota: FF  CA K7-0015 - FaiAlentejo.    

TRATADO DO CANTE - Registos Fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos Fonográficos:

“Ecos do Alentejo” Grupo Coral e Instrumental, Loures.




- 1989 (EP) vinil “Cantarinhas de Beringel (registo sonoro).
- Edição: INTERFASE
- Modas: Cantarinhas de Beringel; Saias do Alentejo.

Cota: FF CA EP-015 - FaiAlentejo

quinta-feira, dezembro 17, 2015

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

Grupo Coral e Etnográfico "COOP" da Cooperativa de Consumo de Grândola

Largo Zeca Afonso
7570 Grândola


Ficha Técnica:                   
- Pode dizer-se que o Grupo Coral "COOP" nasceu na tarde de, Sábado, 8 de Maio de 1993, no Salão Social da Cooperativa de Consumo de Grândola. A ideia da sua criação partiu de José Raimundo Salgado de Jesus que, depois de conseguir o apoio da Direcção da referida Cooperativa, encetou diversos contactos no sentido da constituição do Grupo.
Ensaiam às Sextas feiras, à noite.
- Realizam o seu Encontro Anual de Grupos Corais, no 1º. Sábado a seguir a 8 de Maio.
- O Grupo é composto por 20/25 elementos:
Trajo: Reivindicando as suas raízes alentejanas, o Grupo Coral "COOP" tem como objectivo principal a preservação e divulgação desta cultura, não abdicando da utilização de trajes tradicionais como os dos trabalhadores rurais. Entre os actuais elementos, pontua ainda o vestuário tradicional, atrevemo-nos mesmo, a dizer simbólico, utilizado ao longo dos tempos e até há ainda não muito, pelo maioral, o pastor, o ganhão, ou o lavrador. A mulher não é esquecida e lá estão uma mondadeira e uma ceifeira que não deixam esquecer as agruras do trabalho ao sol escaldante do Alentejo.
Homens:  
Domingueiro: Jaqueta e colete de astracã preta; cinta de algodão preta; calça preta à boca de sino; camisa branca; lenço branco, bordado com o nome do cantador; chapéu preto.
Ceifeiro: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do cantador; chapéu preto; algibeira separada atada à cintura; foice e canudos de cana para os dedos das mãos, como adereços.
Pastor: Camisola de trabalho, de várias cores; calça de cotim "militar; jaqueta de saragoça; pelico; safões de pele; chapéu preto; cajado; corna.
Varejador: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do cantador; chapéu preto; vara de varejar.
 Tirador cortiça: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do canta dor; chapéu preto; machado corticeiro. 
Ganhão: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do cantador; chapéu preto; foeiro e manta.
Mulheres:
Ceifeira: Camisa de cores, saia comprida, apanhada entre pernas; lenço colorido, apanhado de rebuço; chapéu preto; meia de linha, de cor; bota de cabedal de cano, com atacadores; mangueiras; punhos; avental, em regaço; alcofa para o farnel.
Mondadeira: Camisa de cores, saia comprida, apanhada entre pernas; lenço colorido, apanhado de rebuço; chapéu preto; meia de linha, de cor; bota de cabedal de cano, com atacadores; mangueiras; punhos; avental, em  regaço; sacho.

- Têm uma média de 25 a 30 actuações por ano, com desempenhos de Norte a Sul do País. Os mais significativos têm expressão nos Encontros, desfiles e festas, no Alentejo e na zona da grande Lisboa. Actuaram para a televisão:
·         Programa Lusitânia Expresso, no Canal 1 da RTP;
·         Programa Apanhados, na SIC;
·         Programa Portugal Português, na TVI - 2 actuações.
Actuaram na Casa do Alentejo, nas Tardes culturais.
Desfilaram na Av. da Liberdade, até ao Parque Eduardo VII.
Actuaram em Valença do Minho e Alcanena.

- Registos Fonográficos:
                                 1997 (K7): GRUPO CORAL COOP GRÂNDOLA
                                           (registo sonoro) ed.: Iberdisco - Sacavém
                                           Fonoteca Faialentejo: cota: FF  CA K7-0011

Repertorio: Fazem parte do seu reportório as seguintes "modas": Grândola já tem; Meu lindo Alentejo; Setubal, tu és Distrito; Meu querido Alentejo; É tão grande o Alentejo; Alentejo és um encanto; Morena de raça; Borboleta mensageira; Lindo ramo, verde escuro; Jovem pastorinha; O Alentejo, dá pão; Lembra-me os tempos passados; Meu lírio roxo; Ao romper da bela  aurora; Os trabalhadores passam a cantar; Olha o passarinho; Meu concelho é Grândola.

- Apoios: São apoiados por: Câmara Municipal de Grândola; Junta de Freguesia de Grândola; Joaquim Ângelo da Silva; Clube Recreativo Grandolense; Grupo Desportivo de Aldeia de Cardote; Associação do Pessoal das  minas do Lousal.

Nota: Foto tirada no Encontro de Grupos Corais, em Odemira, no dia 19 deAbril de 1997.

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo Coral "Vindimadores" da Vidigueira

       

- 1999 – (CD) por causa do meu amor meteram-me num convento (Registo Sonoro), ed. da Câmara Municipal da Vidigueira.
- Modas: Por causa do meu amor meteram-me num convento; Ó abre-me a porta; Moreninha dá-me um beijo; Toda a bela noite em que eu ando; Ainda hoje não vi Ana; Rondei, estou rondando; Pediste-me uma laranja; Chamaste-me extravagante; Não venhas à minha janela; Além daquela janela; Linda rosa dá-me um beijo; Malmequer criado no campo; Que inveja tens tu das rosas; Vidigueira é linda; Alentejo vinte vezes; Meu Alentejo querido; O nosso Baixo Alentejo; Adeus ó Baixo Alentejo; Ó águia que vais tão alta; Preto que só é homem; Viva a festa dos soldados.

Cota: FF  CA CD0014 - FaiAlentejo

TRATADO DO CANTE - Registos Fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos Fonográficos

Trigo Limpo




- 1981 (LP) vinil “Agora… assobia-lhe às botas!” (registo sonoro).

- Edição: DACAPO
- Modas: Não é tarde nem é cedo, Oh lampião lampião, Lá vai o comboio lá vai, Tenho pena lindo amor, O senhor ministro, Não quero que vás à monda, Ao passar da ribeirinha, Olha a noiva se vai linda, Então porque não, Cantiga da passarada-

Cota: FF CA LP-014 - FaiAlentejo


TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Rancho Coral e Etnográfico de Vila Nova de São Bento, Serpa



 - 1994 (K7): CORO ALENTEJANOS DE VILA NOVA S. BENTO (registo sonoro) 
- Edição: M. L. S. H. Matos – Quinta do Conde.
- Modas: Vila Nova de S. Bento; Já se não vêem nos campos; Levantei-me um dia cedo; Vai, vai marinheiro, vai; Ó águia que vais tão alta; Chamaste-me extravagante; Abre-te campa sagrada; Menina estás à janela; Rosa branca tu não vais; Estava dormindo acordei; Vou-me embora vou partir; No jardim a rosa branca; Ó Francisca, ó Francisca;Camponês alent ejano; Lavoura antiga; Vila Nova de São Bento, teus campos são um jardim.


Cota: FF  CA K7-0014 - FaiAlentejo

quarta-feira, dezembro 16, 2015

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

Grupo Coral "Operário Alentejano" das Paivas




Centro Cultural e Desportivo das Paivas
Av. D. Leonor - Paivas -2840 Amora , Seixal.

Ficha Técnica:
- O Grupo foi fundado em 03 de Outubro de 1975.
- Ensaiam aos Sábados à noite.
- O Grupo é composto por 27 elementos:
- Trajo: Camisa cinzenta; Calça preta; Colete preto; Lenço vermelho.
- Histórico: Tem cerca de 25 actuações por ano. Actuam em todo o País, com especial realce para as actuações, no Alentejo, onde se deslocam, gratuitamente, para Encontros de Grupos Corais, Desfiles e Festas. No ano de 1993 deslocaram-se a Cuba "Havana", durante oito dias.
- Gravaram três cassetes audio.
- Repertório: As "modas" que cantam, são de cariz popular e versam o que foi a vida no Alentejo e o que pensam que poderia ser actualmente. Salientam-se: Aquela obra importante; Portugal de Abril; Alentejo anda triste; Ceifeira; Fui ao campo passear.
- Colaboram activamente com as Autarquias locais e com a Casa do Alentejo.

in: "Corais Alentejanos" de JFP. Edições Margem. 1997
Nota: Fotos tiradas em 19/4/1997, no Encontro de Grupos Corais, em Odemira..

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo Coral e Etnográfico "Os Rurais" de Figueira de Cavaleiros




- 1997 (Cassete): Ao romper da bela aurora (registo sonoro),
- Produção de ImagemImenso
- Modas: Ao romper da bela aurora; Igreja da nossa terra; Triste pomba; Ó lampião; O Alentejo dá pão; Alqueva; Maria Capitoa; Alentejo; Quem há-de; Margarida; Ó Mariazinha; Sou português; A primeira vez.
                            
Cota: FF  CA K7-0013 - FaiAlentejo              

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Trio Odemira




- 1981 (LP) vinil “Trio Odemira” (registo sonoro).
- Edição: MoviePlay Portuguesa
- Modas: (…) Meu lírio roxo do campo, (…), Por esses campos fora, (…), Rosa branca desmaiada, (…).

Cota:  FF CA LP-013 . FaiAlentejo

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo Coral "Vindimadores" da Vidigueira   

                                                                               
       
- 1994 – (CD) Les Voix de l’Alentejo (Registo Sonoro),
- ed.: Audivis ETHNIC
- Modas: Pés d’Homens; Rondei estou rondando; ceifeira linda ceifeira; Os reis; Por causa do meu amor; Voa, voa pombinha voa, O Menino; Conde da Vidigueira; O nosso Baixo Alentejo; É lindo na Primavera; A Passarada; Com que letras se escreve Maria; A flor que abriu em Maio; Não venhas à minha janela; ‘Inda hoje não vi Ana; Meu Alentejo querido; Lindo ramo verde escuro; Ó águia que vais tão alta.


Cota: FF  CA CD0013 - FaiAlentejo         

terça-feira, dezembro 15, 2015

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo de Cantares Regionais de Portel



1989 (K7): Cantares de Portugal (registo sonoro)
- Edição: LUSOSOM
- Modas: A minha terra é linda; Serra da Neve; Cantarinhas de Portel; Olha o Papagaio; Ao passar do barranquinho; Verão, Alentejo e os Homens; Aldeia das Laranjas; Manjerico da janela.

Cota: FF  CA K7-0012 - FaiAlentejo.

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo Coral e Etnográfico Feminino "As Camponesas" de Castro Verde.



- 1997 – (CD) Modas dos Mastros (Registo Sonoro), ed. da CORTIÇOL – Cooperativa de Informação e Cultura, CRL
- Modas: O Comboio; A silva dá uvas; Eu esta manhã achei; Fui colher uma romã; raminho; Minha mãe me deu um lenço; Meu amor vai-me deixar; Senhora quintaneira; Eu fui colher macela.

Cota: 0 GRU BMBL CD03264. Biblioteca Municipal de Beja.
Cota: FF  CA CD0012 FaiAlentejo

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Manuel João Mansos




- 1972  (LP) vinil “Alentejo Maior (poemas)” (registo sonoro).

- Edição: Valentim de Carvalho
- Poemas: O meu livro, Quadras, O homem que bem se regre, Nunca te dês por vencido, Um só ideal, Depois do dever cumprido, Dor vencida, Quem nem há-de ter paixão, A uns que não reparam, A um sujeito feliz, A um hipócrita, Para certos conterrâneos, O jogo, Toda a noite sem dormir, A clara razão, A verdade, A Jesus, Ao coração na tristeza, Quem tem um amigo guarda-o, As flores do meu jardim, Não julgues por cantar rosas, Canção do emigrante, Fraternidade, Ser cristão, Poesia, Prece, Ausência sem presente, Na dor do correr das lágrimas, Rosas de sangue.

Cota: FF CA LP - 0012 - FaiAlentejo


segunda-feira, dezembro 14, 2015

TRATADO DO CANTE - Cânticos de Natal

CÂNTICO AO MENINO
(Vidigueira)

              Naquela noite tão santa,
                   Filho da Virgem Maria.

                   Ao romper daquele dia,
                   Viu a luz o Deus-Menino,
                       
                   A Virgem, sorrindo, chora
                   De amor e consolação.

                   E o Mundo, desde esse dia,
                   Encontrou a salvação.

                   Deus-Menino, Pequenino,
                   Venha a nós a tua graça

                   Que no Mundo é permanente
                   E o resto do Mundo passa!

Gravado em Junho de 1948 pelo Prof. Joaquim Roque, do Grupo Coral da Casa do Povo da Vidigueira, ed. da Câmara Municipal de Portel


TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Grupo Terra a Terra




- 1980 (LP) vinil “Dançando, pulirando” (registo sonoro).
- Edição: Telectra, SARL- Modas: Dançando pulirando, Luisinha, (…).

Cota : FF CA LP-011 - FaiAlentejo