sábado, junho 08, 2019

TRATADO DO CANTE - Registos sonoros:

“Trio Guadiana”. S/D (EP) vinil 



- Edição: Discos Rapsódia, Lda.
- Foto da Capa: O Teixeira
- Temas: Lado A: Caçada; Mas que praias. Lado B: Rio Guadiana, querido; Ó Moura linda.

Trio Guadiana

Cota FaiAlentejo: FF CA EP-035

quarta-feira, junho 05, 2019

TRATADO DO CANTE – Escrito:


O CANTE ALENTEJANO


Símbolo maior da cultura de um povo transmite-nos a dolência do seu carácter, a humanidade da sua postura, a harmonia e sinceridade da sua vivência.

Mostra-nos haver a verdadeira fronteira do Alentejo que é nosso.

Cuba, Serpa, Aljustrel talvez sejam os pólos máximos do cantar alentejano.

(…)

Recordo com saudade tempos do antigamente, em que os cantares entoavam no coraçã0 e pulmão da nossa cidade (Beja).

Nas portas de Mértola, na rua do Cativo e jardim do Bacalhau, durante as noites quentes e abrasadoras do Verão os cantores saiam à rua.

E havia uma senhora que estava à janela de sua casa, todos a saudavam e reviam num sorriso simpático e comunicativo todo o amor que sentia pelo povo da nossa cidade.

Essa senhora, a D. Judite, era a minha mãe.

(…)

Mãe, lembrei-me de ti por causa dos cantares alentejanos e especialmente do Grupo Coral da Capricho que para ti tantas vezes foi cantar.


(...)”.

in: “Diário do Alentejo” 24.10.2008



Fonte: Fonte: “Torre de (Ho)menagem – crónicas de um homem do Alentejo”. De João Covas Lima. Edição de Mercado das Letras Editores. Capa de Ricardo Andrade. Paginação de Francisco Rodrigues. 1ª. Edição de Fevereiro de 2010. Pág. 17.

terça-feira, junho 04, 2019

TRATADO DO CANTE – Modas e Cantigas:


 trabalho artesanal, de peça única, feito por Modesto Raposo

HÁ UM SOBREIRO VELHINHO

Moda:
Há um sobreiro velhinho
Que nasceu à meia-encosta:
É a casa dos pardais,
Malhada dos animais,
Faz sombra que o pastor gosta.

Faz sombra que o pastor gosta
Nos dias quentes de Verão;
Põe o seu gado ao acarro,
Da cortiça faz um tarro,
Corta a lenha, faz carvão.

Corta a lenha, faz carvão
E nasce um novo raminho
Da Primavera ao Inverno;
Deus queira que seja eterno,
Há um sobreiro velhinho.

Cantiga:
O sobreiro é obrigado
A sustentar a cortiça;
Quem não ama de vontade,
Seja qual for a idade,
Não se obriga por justiça.

Moda:
Há um sobreiro velhinho
Que nasceu à meia-encosta:
(...)”

Letra e música: Martinho Marques



domingo, junho 02, 2019

TRATADO DO CANTE – Crónicas:

Sim! Porque o que nós queremos é cantar. Todos!

Primeiro de Junho de 2019.

Fomos a caminho de Cuba onde teríamos que estar às 10:00 horas para um colóquio sobre as “Polifonias do Mediterrâneo”, integrado na “Feira do Cante e das Tradições 2019 (31 de Maio a 02 de Junho)”. Cumprimos a missão mas deixem-nos dizer que muito bem conseguida em tudo: substância, diversidade e paixão. Aqui algo relevante!



Muito participada e sentida foi a homenagem ao Mestre Ermelindo Galinha e a todos os “Ceifeiros” já falecidos, na sede do Grupo Coral “Os Ceifeiros” de Cuba. Aqui fomos justos!


Do programa constavam várias participações de grupos vindos de todo o Alentejo “cantante” que desfilaram, cantaram nas tabernas e em palco. Foi um fartote para os participantes e para os “doentes” do Cante. Aqui foi a causa!



Na taberna do Zé Candeias participámos no descerramento de uma placa de homenagem ao poeta e amante do cante, José Luís Costa Vargas “Uma vida cheia de paixão pelo cante e pela poesia”. Aqui foi amor!


Na nossa opinião é justo salientar que foi das mais belas demonstrações de força e vitalidade de Cante em que ultimamente participámos e onde nos deixámos arrastar. Sim! Porque o que nós queremos é cantar. Todos!


Finalmente é de salientar a organização que tão bem nos soube estimular e nos envolveu na sua «cadência» tão característica. Bem hajam, o Município da Cuba e o José Roque, presidente da MODA!



2/6/2019