sábado, dezembro 31, 2016

TRATADO DO CANTE - à minha moda:

Ó AI LI LA-RI LÓ LÉ

                   Ponto:    Eu aprendi a cantar
                                  Lavrando em terra molhada

                   Alto:        Lá na solidão dos campos
                   Coro:      Pensando em ti minha amada

                   Ponto:    Ó ai li la-ri ló lé
                                  Ó ai li la-ri ló lá

                   Alto:        A moda que minha mãe
                   Coro:      Me ensinou em rapaz

                   Ponto:    Me ensinou em rapaz
                                  Me embalou em bébé

                   Alto:        Ó ai li la-ri ló lá
                   Coro:      Ó ai li la-ri ló lé

                   Ponto:    Onze horas meia noite
                                  Já tudo por  aqui dorme

                   Alto:        Só este meu coração
                   Coro:      Quer descansar mas não pode

                   Ponto:    Ó ai li la-ri ló lé
                                  Ó ai li la-ri ló lá

                   Alto:        A moda que minha mãe
                   Coro:      Me ensinou em rapaz

                   Ponto:    Me ensinou em rapaz
                                  Me embalou em bébé

                   Alto:        Ó ai li la-ri ló lá
                   Coro:      Ó ai li la-ri ló lé

1994 (K7): GRUPO CORAL S.F.R.A.A. 1989


- EdiçãoMaria L. S. H. Matos:
- Modas:  (...) Ó-AI-LI-LARI-LÓ-LÉ; Lavoura antiga
Grupo Coral Alentejano da Sociedade Filarmónica Recreio 0 Artístico da Amadora

sexta-feira, dezembro 30, 2016

TRATADO DO CANTE - Almanaque:

Introdução ao Estudo do problema agrário

(conferência proferida no Grémio Alentejano, no dia 29 de Novembro de 1930)”


“(…)
Ao abrir-se a época liberal, sobe ao governo Mousinho da Silveira e tem-se a impressão de que é o Astro que se alevanta.
Não há muito, minhas senhoras e meus senhores, disse-vos eu que há figuras da História pelas quais nós não podemos passar sem parar um instante, como o peregrino ante o nicho que surge no caminho.
Mousinho da Silveira é destas figuras.
Raro e grande, sobretudo, pela conjunção de virtudes que exortam a sua excelsa personalidade.
Não é raro e grande por ter sido génio – é raro e grande por ter sido equilibrado.
(…)
Senão, ouçam as suas palavras:
«Tudo quanto tenho apresentado, ou apresentar a vossa magestade Imperial, não é mais do que o resultado do desejo único, que tenho neste mundo, de ver feliz quem trabalhar, ou for herdeiro de quem trabalhou, e destituído de meios aquele que pretender existir à custa do trabalho alheio.»
(…)”

in: “Alentejo, terra de promissão”. De Mário de Castro. Edição Seara Nova. 1933. Pág. 62 e 63.



José Xavier Mousinho da Silveira (Estadista, jurisconsulto e político), nasceu em Castelo de Vide em 12 de Julho de 1780 e morre em Lisboa em 4 de Abril de 1849.

quinta-feira, dezembro 29, 2016

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

2015 – (CD) “Campaniça do despique”




- Produção/Direção Musical e Arranjos: Pedro Mestre e José Manuel David.

- Temas: Brota a água; Campaniça do despique; Olhos verdes; Jardim dos sentidos; Danças comigo ó Rosa; Ilha dos vidros; Zuca, zuca; Qual de nós valerá mais; Quem não tem amor sou eu; Sobreiro velhinho; O que é feito; Ti Mariana.

Pedro Mestre.

Cota FaiAlentejo: FF CA CD 0116

terça-feira, dezembro 27, 2016

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

1994 – (CD) “Songs and dances of Portugal/ Cantos e danças de Portugal”



- Recolhas de Michel Giacometti (1929-1990)
- Edição: Strauss – Música e Vídeo, S.A
- Gravação e Estúdio: Michel Giacometti e Fernando Lopes Graça.
- Produção: Michel Giacometti
- Temas: Aboio; Chula; Moda da Zamburra; Moda da Sacha; Redondo; Mira-me Miguel; Fandango Saloio; Senhora da Póvoa; Janeiras; Reis; Senhora do Carmo; Scot; S. João; Maragato; Serenata; O Mineiro; Deus te salve, ó Rosa; Maçadela do Linho; Aboio da Vessada; Bicha.
Vários.

Janeiras (Canto de peditório, hoje a bem dizer (1991) caído em desuso, recolhido no concelho de Aljustrel (Beja). Era entoado às portas das casas dos moradores da localidade (sobretudo dos mais abastados). Belo exemplar de canto polifónico alentejano, na largueza da sua expressão, nos seus discretos vocalismos, nos seus ressaibos de gregoriano):
Solo: 
Já que Deus me fez tão pobre,
Saio esta,
Saio esta noite a pedir.
Coro:
(E) a casa de gente pobre,
Saímos,
Saímos hoje a pedir.

Solo: 
Lá vai uma, lá vão duas
Por cima do seu telhado
Coro:          
Já que Deus me fez tão pobre
Saio esta,
Saio esta noite a pedir.

Solo: 
Deus lhe dê muita saúde
P’ro que ti
P’ro que tiver semeado.
Coro:
(E) à casa de gente nobre
Saímos
Saímos hoje a pedir.

 S. João (As festas de S. João coincidem com as antigas festas ligadas aos ritos solares da purificação, em que intervinham necessariamente o fogo e água: o fogo das fogueiras e a água das fontes, a qual segundo a tradição popular, ficaria sagrada na noite de S. João. Este espécime recolhido no concelho de Aljustrel (Beja) constitui outro belo exemplo de canto coral alentejano, como habitualmente entoado apenas por vozes masculinas):

Solo: 
S. João não vem cá hoje,
Há-de vir segunda feira,
Coro:          
Há-de achar a cama feita
Com ramos de erva cidreira.

Solo: 
S. João mais o Pedro
São dois santos mudadores
Coro:          
S. João muda os casais

S. Pedro muda os pastores.

Cota FaiAlentejo: FF CA CD 0115

TRATADO DO CANTE - Do Natal aos Reis:

2014 – (CD) “Rumo ao Sul” 3º. CD



- Edição: Cantadeiras de Essência Alentejana

- Modas: Alentejo és nossa terra; Rouxinol repenica o cante; Malmequer criado no campo; Aurora tem um menino; Da fronteira sem parar; O Cante da mulher alentejana; Quando amanhece a chover; Com que letra se escreve Maria; Fui passear a Lisboa; Levantou-se o Povo inteiro; Alentejo, Alentejo; Saudades de emigrante; Vou-me embora, vou-me embora.

- Cantes Natalícios: O Menino Jesus, de Serpa; O Menino Jesus, de Figueira de Cavaleiros; O Menino Jesus – Dá-me o Deus Menino, de Campo Maior; Esta noite é de Janeiras, de Beja; Uma estrela se foi pôr; No alto do monte.

Cantadeiras de Essência Alentejana.

Cota FaiAlentejo: FF CA CD 0113

segunda-feira, dezembro 26, 2016

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

“Nos Campos do Alentejo” - S/D (LP) vinil  




- Edição: DACAPO

- Temas: (A) Nos Campos do Alentejo; Passou, Passou, Passou; Tira o Capotinho; Mariazinha; As Mulatinhas; Solidão, ai dão, ai dão; (B) Maria Capicua; Ó meu Tirone; Todos têm, só eu não; Tenho barcos, tenho remos; É a paixão que me existe; Estava de abalada.

Trigo Limpo


Cota FaiAlentejo: FF CA EP-031