sábado, abril 22, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

SINTRA – Rio de Mouro

Grupo Coral da AFAPS “As Andorinhas”
Serra das Minas - 2735 Rio de Mouro


Ficha Técnica:                  

. O Grupo foi fundado em 15 de Dezembro de 1993.

. Ensaiam às terças e sextas feiras, pelas 15 horas.

. Tem a sua Festa da Família, anualmente, no Fim de semana antes do dia de São Pedro.

. O Grupo é composto por 21 elementos

. Trajo: Camisa branca, com lacinho preto; Saia preta.

. Histórico: Tem tido desempenhos em: Cacém; Teatro Maria Matos, em Lisboa; União Zoófila, em Lisboa; nos III e IV Encontros de Coros do Concelho de Sintra; Rio de Mouro; Algueirão; Mem Martins; Serra das Minas, Castro Verde.

. Repertório: De tradição popular e com arranjos e autoria de D. Deolinda Sobral: Meu País; Eu fui a colher marcela; Meu amor silvestre; Ao passar da Ribeirinha; Sintra Património Mundial; Meu Alentejo querido; Canção de Natal; Não quero que vás à monda; Ó Rosa branca; Ó Pescador; Canta passarinho; Nasceu um Cravo; Bate, bate coração; Canção à natureza; Rapsódia; Minha mãe é uma rosa; Pomba branca.

Nota: Grupo sem atividade.


In: “Corais Alentejanos” (em atualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 355/356.

sexta-feira, abril 21, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

SINTRA - Cacém

Grupo Coral Alentejano "Os Populares do Cacém"
Rua São João de Brito, 4 r/c Dtº.
2735 483 CACÉM
Tel.: 963 238 411








Ficha Técnica:

. O Grupo foi fundado em 24 de Junho de 1980

. Ensaiam às sextas feiras, à noite.

. Fazem o seu Encontro Anual de Grupos Corais em fins de Maio.


. O Grupo é composto por 25 elementos.

. Trajo: Colete preto; Calça preta; Camisa branca; Sapatos pretos; Chapéu preto; Lenço rameado.

. Histórico: Desde a sua fundação, tem este grupo tido a oportunidade de actuar em quase todas as aldeias, vilas e cidades de todo o Alentejo, assim como em toda a região da grande Lisboa e em algumas localidades do Ribatejo, em encontros de Grupos Corais, desfiles e festas. Fazem em média entre 25 e 30 atuações por ano. Conforme protocolo celebrado com a Câmara Municipal de Sintra, fazem seis actuações nas freguesias do Concelho, por ano.

. Registos Fonográficos:
1985 (K7): Cante Alentejano (registo sonoro)
Edição: Casa do Alentejo
Fonoteca Faialentejo: cota: FF CA K7-0030


1991 Fizeram uma gravação em cassete áudio (esgotada).

2005 – (CD) “25 ANOS A CANTAR O ALENTEJO”
Edição: Grupo Coral Alentejano “Os Populares do Cacém”
Fonoteca FaiAlentejo: Cota: FF CA CD0060


. Repertório: Cantam as modas, que conseguiram resistir ao tempo e que são cantadas por todo o Alentejo e onde há Alentejanos. Foram feitas algumas adaptações nas letras das modas, tendo em consideração a zona onde o Grupo está inserido bem como o tempo actual. Salientam-se do seu reportório: Que inveja tens tu das rosas; Alentejo é nossa terra; Trigueira de raça; Ouvem-se os galos cantar; Menina Florentina; Guardo o meu gado no campo; Camponês Alentejano; Trabalha, homem trabalha; O Dia do nosso Grupo; Sou português emigrante; Alentejo canta; É lindo o nascer do sol; Jovem pastorinha; Eu ouvi um passarinho; Lindo ramo verde escuro; Ceifeira, linda ceifeira; Maria da Rocha; Nossa Senhora do Carmo; Nasce o sol no Alentejo; Já lá vem o barco à vela; Moreninha dá-me um beijo; Que bem que parece; É tão grande o Alentejo; Bate as palmas Marianita; Eu hei-de me ir sentar; Eu hei-de ir ao Alentejo; Venho do Norte da Alemanha; O Cheiro que a rosa tem; Ó linda pombinha branca; Mondadeira Alentejana; O mineiro; Rosa branca desmaiada; Vila de Agualva-Cacém; Ceifeira do Alentejo; Sintra, rainha das vilas; O Alentejo em Lisboa; Meu Alentejo querido; A primeira vez que eu disse adeus; A barrinha do meu lenço; Tenho lá no meu quintal; Sintra está classificada; Ó Matilde levanta a saia; O Verão; Olha a noiva se vai linda; Ó linda; Lá vem a cegonha; Vamos lá saindo; Toda a bela noite; Pelo toque da viola; Vai colher a silva.
       
. Objetivos: Divulgar o cante alentejano em regiões como o centro e norte de Portugal e nas comunidades lusas no estrangeiro. Promover a coesão entre os grupos junto das estruturas representativas, como: “A MODA” e outras.


In: “Corais Alentejanos” (em atualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 351/354.

quarta-feira, abril 19, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

REDONDO - Montoito:

Grupo Coral Trabalhadores de Montoito
Sociedade União Montoitense
Av. da Escola, 29
7200 - 053 Montoito







Ficha Técnica:     
       
. O Grupo foi fundado em 1975.

. Ensaiam às quintas feiras, na Sociedade União Montoitense, à noite.

. Realizam o seu Encontro Anual de Grupos Corais em Agosto/Setembro.

. O Grupo é composto por 21 elementos.

                   . Trajo: Calça azul; colete azul; camisa branca; chapéu preto; lenço rameado.

. Histórico: Com uma média de 20 a 25 atuações por ano, atuam de norte a sul do País, com especial incidência na zona da grande Lisboa e no Alentejo onde se realizam Encontros de Grupos Corais. Destacam-se as atuações na Casa do Alentejo, em Lisboa; no Hotel Ipanema, no Porto; Nas festas da Vila de Trancoso; nas festas da cidade, em 1993, em Portimão. Atuaram por diversas vezes no Évorahotel. Participaram em todos os desfiles realizados no âmbito do Congresso do Alentejo.

. Registos Fonográficos:
1992 (K7): Grupo Coral Trabalhadores de Montoito
Edição de DUALSOM
Fonoteca Faialentejo: cota: FF  CA K7-0084


1998 (2 CDs ): O Cante Alentejano (Os Melhores Coros Amadores da Região)
Edição: Public-art, Editora - Coimbra
Grupos: Vários
Fonoteca Faialentejo: cota: FF  CA CD-0025 


1999 (CD): Encontro de Grupos Corais em Montoito (gravado ao vivo)
Edição:  ALIENDE – Associação para o Desenvolvimento Local
Grupos: vários
Fonoteca Faialentejo: cota: FF  CA CD-0026


2004 – (CD2) Tempos, Sonoridades e Convergências
Edição de Sociedade União Montoitense
Fonoteca Faialentejo: cota: FF  CA CD0051


. Repertório: Montoito é nossa terra; Um dia no Alentejo; Barragem da Vigia; Debaixo da laranjeira; Rosa que estás em botão; Alentejo doirado; Montoito dos meus amores; Estava dormindo, acordei; Meu Alentejo, querido; Se fores a Montoito, vai ver a Barragem.


In: “Corais Alentejanos” (em atualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 243/244.

terça-feira, abril 18, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

VILA FRANCA DE XIRA – Alverca do Ribatejo

Grupo Coral "Unidos do Baixo Alentejo"
Rua Fonte de São Romão, Lte. 10/12, Loja Dtª.
2615 - 328 Alverca do Ribatejo
tel. 962 460 875 (Alberto Amoroso Silva)
gcbalentejo@netcabo.pt





Ficha Técnica:

. O Grupo foi fundado em 4 de Janeiro de 1974.

. Apesar de originários de vários pontos do Alentejo, predominantemente os elementos fundadores eram provenientes do Baixo Alentejo, daí a origem do nome atribuído ao Grupo. 
No decorrer de 2003 e após vários contatos junto do Município de Vila Franca de Xira, conseguiu a direção em exercício naquele período, ao abrigo de um protocolo, aquela que é atualmente a sede social do Grupo Coral. Com a realização deste objetivo conseguiu-se acabar com os ensaios no velho barracão de zinco, que também servia de sede social. 

. Ensaiam às Terças e Quintas Feiras, às 21:00 horas.

. Realizam o seu Encontro de Corais, anualmente, que varia entre a última semana de Maio e a primeira semana de Junho.


. O Grupo conta com cerca de vinte elementos cantadores e aproximadamente cerca de cem associados. 
              
. Trajo: Calça preta; Colete preto; Camisa branca com risca preta; Chapéu preto; Lenço multicolor, com fundo vermelho.

. Histórico: Tem em média 15 a 20 actuações por ano no Alentejo e zona da grande Lisboa, em encontros de Grupos Corais, desfiles e festas e no concelho de Vila Franca de Xira, de acordo com o protocolo estabelecido com a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.

. Registos Fonográficos:
1983 Gravaram uma cassete audio (esgotada).

1985 (K7): Cante Alentejano (registo sonoro)
Edição da Casa do Alentejo
Cota: FF CA K7-0030 - Fonoteca Faialentejo:


. Repertório: O Grupo dispõe atualmente de um repertório composto por cerca de 30 modas, todas tradicionais. 

. Objectivos: Divulgação do cante alentejano, seus costumes e tradições.
Nota: Por iniciativa da Junta de Freguesia de Alverca, o Grupo Coral foi agraciado em 2004 com o Galardão de Mérito Cultural como resultado do trabalho desenvolvido por todos aqueles que durante anos e anos souberam levar por diante a obra iniciada em 1974. 

In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 357/359. 

Nota: Parte da informação foi retirada da página: https://associativismo.cm-vfxira.pt

domingo, abril 16, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

BEJA – Beja

Grupo Coral dos Bombeiros Voluntários de Beja
Bombeiros Voluntários de Beja
Av. Fialho de Almeida
7800 BEJA




 Ficha Técnica:             

. O Grupo foi fundado em 1983.

. Ensaiam às sextas feiras, à noite.

. O grupo é composto por 24 elementos:

. Trajo: Calça azul, escura; Camisa azul, clara; Blusa de malha, azul, com lista vermelha; Jaqueta azul escura; Lenço preto e vermelho; Distintivo da Associação Humanitária dos B.V. de Beja.

. Histórico: Junho de 1983, um marco histórico para a A.H.B.V. de Beja, ao fazer deslocar à Mina de São Domingos, o seu recém constituído Grupo Coral, tendo naquela localidade efectuado a sua primeira actuação pública. Sob a égide da Direcção desta prestimosa Associação, os irmãos Poupinha, nomeadamente o falecido Augusto, juntamente com um grupo de sócios, amigos e bombeiros, faziam brotar das suas afinadas gargantas, o "cante" apaixonante das gentes da planície. Mais tarde, Plácido Baioa, que do "cante" alentejano era mestre, deu o seu contributo ao Grupo, transmitindo-lhe todos os seus conhecimentos de uma forma extraordinariamente humana e pedagógica. Com o seu desaparecimento, o Grupo ficou à deriva. Mas o importante é que soube reagir, conseguindo ultrapassar o mau momento. Surge João Torres, que pegando no leme, soube levar o barco a bom porto. Revitalizou o Grupo, deu-lhe consistência, crédito e espírito de união. Foi então atingido um bom nível. Gravou-se em 1995 uma cassete. As actuações, cada vez com mais qualidade repetem-se de norte a sul de Portugal, fazendo os seus 24 elementos chegar a todo o País a cultura deste nosso Alentejo, através do seu "cante", e, envergando uma farda com um simbolismo ímpar, transmitem a solidariedade da forma que só o soldado da paz sabe e é capaz de fazer. A organização dos Encontros CANTAR ALENTEJO, é sem dúvida o ponto alto de uma vida, em grupo, aos quais transmitimos a nossa capacidade associativa, organizativa e de amor pelo cante e a cultura Alentejana.

. Registos fonográficos:
1995 (K7): Grupo Coral dos Bombeiros Voluntários de Beja. Edição de M. L. S. H. Matos
Cota: FF CA K7-0047 - FaiAlentejo


1999 (CD): Encontro de Grupos Corais em Montoito (registo sonoro) (gravado ao vivo)
- Edição: ALIENDE – Associação para o Desenvolvimento Local
- Grupos: Suãozinho; Cantares de Évora; Flores do Alentejo de Cuba; Casa do Povo de Reguengos de Monsaraz; Alentejano da Brandôa; Pastores do Alentejo de Torre dos Coelheiros; Bombeiros Voluntários de Beja; Freguesia da Cabeça Gorda; Etnográfico de Viana do Alentejo; Alentejanos Residentes em Tires; PLURICOOP de Pinhal Novo; Trabalhadores de Montoito.
- Modas: Estas é que são as Saias; Nuvens; Olha o Passarinho; Trigueira de raça; Cabelo entrançado; Minha linda vila; O meu bairro é a Brandôa; Pastores do Alentejo; O Alentejo está triste; Ó Águia que vais tão alta; Ainda agora aqui cheguei; Verão; Macela, macelinha; Silva; Sobreiro; Vila de Portugal; Moda dos Mineiros.
Centro Rural de Montoito
Cota: FF CA CD-0026 – FaiAlentejo
Cota: 071.3 - ENC - CD 5511. Catálogo Cante Alentejano (Polo da Baixa da Banheira da Biblioteca da Moita).


. Repertório: Do seu reportório constam as modas que se cantam por todo o Alentejo, com as letras adaptadas ao momento actual, das quais destacamos: Hino do Bombeiro; Mondas, debaixo do sol ardente; Ó Beja quem te conhece; Rego abaixo, rego acima; Eu quero voltar aos campos; Rondei, estou rondando; Portugal já tem idade; O Alentejo é tão lindo; Nosso lindo Portugal; Os trabalhadores passam a cantar; Alentejo, Alentejo; Quando minha mãe morreu; A gaivota mensageira; Há lindas flores no prado; Tenho lá no meu quintal; Hino do mineiro.

Nota: Grupo Inativo.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.a: 105/107.

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

BEJA – Beja

Grupo Coral da Caixa Social e Cultural da Câmara Municipal de Beja
Praça da República
7800 Beja



Ficha Técnica:                  

. O Grupo foi fundado em 19 de Dezembro de 1994.

. Ensaiam às Quintas feiras na Casa da Cultura de Beja, à tarde.

. O Grupo é composto por 23 elementos.

. Trajo: Calça azul; Colete Bourdeaux; Camisa branca; Lenço cor de grão.

. Histórico: Tem feito desempenhos em todo o País, com maior actividade no Alentejo e zona da grande Lisboa, onde se realizam Encontros de Grupos Corais. As suas actuações mais marcantes e mais representativas foram: Na OVIBEJA 96; Festival de folclore de Vila Real de Trás-os-Montes e na Festa do Ateneu em Coimbra.

. Registos fonográficos:
Tem um registo em cassete audio.
1999 (CD): O Cante das Flores (registo sonoro).
- Edição: ImagemImenso, Lda.
- Grupos: Coral de Ourique; Coral “Os Vindimadores” de Vidigueira; Coral do “Externato António Sérgio” de Beringel; Coral Os Trabalhadores de Ferreira do Alentejo; Coral da Caixa Social da C. M. de Beja; Coral “Vozes” de Casével; Cante ao Baldão; Cante ao Despique.
- Modas: Linda rosa tu não vais; Muito bem parece; Vai colher a rosa; Cante ao baldão; Que inveja tens tu das rosas; Linda rosa dá-me um beijo; Malmequer; Cante ao baldão; A flor que abriu em Maio; O Alentejo é tão lindo; Muito bem parece; Cante ao baldão; Lírios são lírios; Malmequer criado no campo; Cante ao baldão; Roseira enxertada; Malmequer criado no campo; Alentejo é lindo; Cante ao despique.
Cota: FF CA CD-0022 – FaiAlentejo


Abril 2001 – (CD) Quando o Alentejo Canta.  Edição da Caixa Social e Cultural do Pessoal da Câmara Municipal de Beja.
Cota: FF CA CD0001 - FaiAlentejo
Cota: 0.71 GRU BMB CD00881. Biblioteca Municipal de Beja
Cota: 071.3 - GRU - CD 5524. Catálogo Cante Alentejano (Polo da Baixa da Banheira da Biblioteca da Moita).


. Repertório: Do seu reportório fazem parte as modas mais representativas e que se cantam por todo o Alentejo. Do CD de 2001: Beja cidade limpa; Rosa branca desmaiada; Cá no Alentejo; Nasce o Sol no Alentejo; Malmequer; É tão grande o Alentejo; Vai remendo o teu barquinho; Roseira enxertada; Mineiro; Linda jovem era Pastora; Trigueira de raça; Castelo de Beja.

. Objectivos: Criar aos associados da Caixa Social bons momentos de camaradagem e são convívio. Consideram importante fazer a divulgação do cante alentejano, aonde quer que sejam solicitados, para actuarem.

Nota: Grupo inativo.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 109/110.