sábado, maio 07, 2016

TRATADO DO CANTE - A paixão do Cante:

A Paixão do cante no Bairro Alentejano



A existência do Grupo Coral 1º. De Maio do Bairro Alentejano só é do nosso conhecimento deste 2009. A nossa curiosidade levou-nos à procura das respostas cujas dúvidas então se levantaram: Bairro Alentejano? Que gente é esta?...
Lá fomos e como a experiência nos ditou o contacto foi formal. Dissemos quem éramos e ao que íamos. Os nossos interlocutores lá foram dando respostas, a princípio na expectativa, mas depois foi ganhando forma a paixão do Cante e a empatia foi assumindo a sua posição na futura amizade. É claro que quem nos recebeu eram os responsáveis pelo Grupo Coral 1º. de Maio os Senhores José Calixto e Joaquim Martins. A conversa estendeu-se, mostraram-nos a sua sede e as despedidas coincidiram com um convite para o aniversário do Grupo no dia 1 de Maio de 2009. Lá estivemos e participámos.
Foi simpática a recepção que tivemos e deixou marcas de compromisso. Esta coisa do cante traz sempre uma grande entrega para quem o sente e vive e deixa sempre grandes responsabilidades aqueles que o querem tornar seu, do seu Alentejo, das suas vivências, do seu mal-andar, dos seus amores e desamores. É muito coração.
A partir daqui as nossas visitas são espaçadamente constantes e sempre muito convidativas e afectuosas.
Resta-nos acompanhar este simpático Grupo que tão ternamente nos incluiu na sua Paixão pelo cante alentejano.
        

Mer e Al-Zéi

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0196
1996 (K7): "Roseira Brava"


- Edição: Movieplay.

                                  Temas: Genérico da telenovela; Morrer por ti será nascer; Há Hortense; Matilde; À beira d abismo; Fado do Alentejo; Tema de Amélia; Nasci no campo; Balada do Alentejo; Roseira Brava.

Telenovela Roseira Brava

sexta-feira, maio 06, 2016

TRATADO DO CANTE - Escrito:

PASTOR



“(…)

É preciso ter uma grande dignidade humana, uma certeza em si muito profunda, para usar uma casaca de pele de ovelha com o garbo de um embaixador."

Miguel Torga

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0167
S/D (K7): “Cancioneiro Popular Português (breve antologia)”


- Edição: Círculo dos Leitores

                                  Modas: José embala o Menino; Do tronco nasceu a rama; Deus nos dê cá as Boas Festas; Senhora Santa Combina; Vai-se o dia vem a noite; Por riba se ceifa o pão; Oliveiras, oliveiras; Segadinhas, segadinhas; Tascadeiras do meu linho; Fiz uma aposta, senhoras; Ofícios de aprender; Redondo; Ó Vos omnes; Por baixo di a porta hai luz; Ai, o vosso divino nome; Senhora do Almurtão; Ó Senhora do Alívio; Recordai, nobre Senhor; Rula, rula; Manhaninha de S. João; Maçadeiras do meu linho; Ai, ajuda-me ó camarada; Pur beijar el pingacho; Corridinho; Eu m’arrogo prá batalha; Ó que linda pomba branca.

Coord. Michel Giacometti e Fernando Lopes Graça     

quinta-feira, maio 05, 2016

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0164
1993  (K7): “Cânticos Religiosos Alentejanos 2º. Vol.”


- Edição: Discantus.

                                  Cânticos:       O Menino de Pias; O Menino de Aldeia Nova de São Bento; O Menino de Serpa; Mandou Deus do Céu à Terra; Os Reis de Peroguarda; Os Reis de Aldeia Nova de São Bento; Santo António de Vila Alva; Santo António de Serpa; Jesus filo de David de S. Estêvão; Senhor Jesus, Pão da Vida de Moura; Ouvi, Senhor; Vila Alva; Bendita e Louvada Seja de Serpa; Aleluia de Padre Marvão; Senhora da Conceição de Padre Marvão.

Coro do Carmo de Beja.      

quarta-feira, maio 04, 2016

TRATADO DO CANTE - Almanaque:

MINHA MÃE AMASSA O PÃO


"(...)
Minha mãe amassa a folha,
Lenta, na tarde de Outono –
Não há ninguém que escolha
Esse pão tonto de sono.

Minha mãe amassa a chama
Do Outono nos vinhedos –
E o pão-vinho se derrama,                                 
Escorre-nos loiro dos dedos.

Minha mãe amassa o vinho,
Em tardes de embriaguez –
E o pão depois, adivinho,
Sabe a copos de três.
(...)"

de António Simões.

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0165
1993 (K7): “Cânticos Religiosos Alentejanos 1º. Vol.”


- Edição: Discantus.

                                  Cânticos:       Somos da Terra do Pão; Senhor, tende piedade; O Bom Pastor; Tenho fé e quero ter; Além vai Jesus; Cristo Profeta; Aleluia; Fonte de água viva; Ó Virgem Maria; Nª. Sª. do Carmo; Bendita Sejais; São João.

Coro do Carmo de Beja      

terça-feira, maio 03, 2016

TRATADO DO CANTE - São Saias:

SAIAS


Leite de Vasconcelos que também por aqui andou e onde realizou alguns trabalhos de campo, deu-nos preciosas informações sobre danças portuguesas, mas é certo que nunca aprofundou o suficiente para que nos dias de hoje possamos ter certezas.

Igualmente Lopes Graça e Michael Giacometi lamentavelmente nunca aprofundaram o estudo das danças populares, embora nos tenham legado um extenso e valioso espólio.

Desgarradamente esse trabalho tem sido abordado e está disperso por várias obras ainda que, com algumas lacunas o que nos leva a pensar que terá que ser feito.

E terá que ser feito por coreólogos ou etnocoreólogos que não há muitos em Portugal, mas urge, porque mais hoje mais amanhã as fontes desaparecem.

Relativamente às danças populares portuguesas houve desde sempre a necessidade de precisar quais as de carácter folclórico, populares ou popularizadas.

. Folclóricas são as tradicionais dançadas essencialmente nos meios rurais ou suburbanos;

. Populares são aquelas criadas ou que tiveram origem no povo;

. Popularizadas são as danças extrapopulares mas que o povo adoptou porque gostou delas.

(…)”

in: http://folclorealtoalentejo.blogspot.com/

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0162
1990 (K7): “Pinhal dos Frades”


- Edição: Edições Carlino.

                                  Modas: Foi no Alentejo; Nas asas de um gavião; Oh lindo Alentejo; Corticeiro; Na nossa terra; Na planície alentejana; Ainda agora; Aqui cheguei; O Inverno vai chegando; Pinhal dos Frades.

Grupo Coral e Musical Diversos do Alentejo, Pinhal de Frades, Seixal.      

segunda-feira, maio 02, 2016

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0161
1988 (K7): “Terra do Pão”


- Edição: Carlino.

                                  Modas: Terra do Pão; Canta, canta passarinho; Eu fui ao jardim das rosas; É tão grande o Alentejo; Ó donzela; Xarrama; Se fores um dia a Beja; * pastor alentejano; A mina morreu; vou-me embora, vou.me embora..

Grupo Coral e Musical Diversos do Alentejo, Pinhal de Frades, Seixal.     

domingo, maio 01, 2016

TRATADO DO CANTE - Almanaque:

MINHA MÃE AMASSA O PÃO


"(...)
Minha mãe amassa o vento –
(Vejam lá a que se atreve!)
Ó pão do nosso sustento,
Só eu sei porque és tão leve.

Minha mãe amassa o vento,
Mas quando ele se rebela,
Lá vão farinha e fermento
Voando pela janela.

Minha mãe amassa o vento
Quando é dia de Suão –
Com labaredas lá dentro,
Sem forno coze esse pão.
(...)"

de António Simões.

TRATADO DO CANTE - À minha Moda:

Ó ÁGUIA QUE VAIS TÃO ALTA



Ponto:       
Altos silêncios da noite
Minhas vozes vão rompendo

Coro:          
Altos silêncios da noite
Minhas vozes vão rompendo
Já qu’eu de dia não posso
lograr o bem que eu pretendo
Já qu’eu de dia não posso
lograr o bem que eu pretendo.

Ó águia que vais tão alta
Voando de polo a polo
Leva-me ao céu onde eu tenho
A mãe que me trouxe ao colo
A mãe que me trouxe ao colo
Ficou-me fazendo falta
Voando de polo a polo
Ó águia que vais tão alta.

Nota: Em homenagem à minha mãe.

TRATADO DO CANTE - Registos fonográficos:

Cota FaiAlentejo: FF  CA K7-0159
Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0160
1993 (K7): S/T


- Edição: Clave.

                                  Modas: Diversos do Alentejo; Na Mina foi sempre assim; Foi no dourado Alentejo; Meus Senhores eu venho à praça; Venham ver o Alentejo; Mértola linda vila alentejana; Ó amora negra amora; Verão; Ó meu Torrão.

Grupo Coral e Musical Diversos do Alentejo, Pinhal de Frades, Seixal.