sexta-feira, março 10, 2017

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

GRÂNDOLA – Grândola:

Grupo Coral e Etnográfico "COOP" da Cooperativa de Consumo de Grândola
Largo Zeca Afonso
7570 Grândola




Ficha Técnica:  
                 
- Pode dizer-se que o Grupo Coral "COOP" nasceu na tarde de, Sábado, 8 de Maio de 1993, no Salão Social da Cooperativa de Consumo de Grândola. A ideia da sua criação partiu de José Raimundo Salgado de Jesus que, depois de conseguir o apoio da Direcção da referida Cooperativa, encetou diversos contactos no sentido da constituição do Grupo.

- Ensaiam às Sextas feiras, à noite.

- Realizam o seu Encontro Anual de Grupos Corais, no 1º. Sábado a seguir a 8 de Maio.

- O Grupo é composto por 20/25 elementos.

- Trajo: Reivindicando as suas raízes alentejanas, o Grupo Coral "COOP" tem como objectivo principal a preservação e divulgação desta cultura, não abdicando da utilização de trajes tradicionais como os dos trabalhadores rurais. Entre os actuais elementos, pontua ainda o vestuário tradicional, atrevemo-nos mesmo, a dizer simbólico, utilizado ao longo dos tempos e até há ainda não muito, pelo maioral, o pastor, o ganhão, ou o lavrador. A mulher não é esquecida e lá estão uma mondadeira e uma ceifeira que não deixam esquecer as agruras do trabalho ao sol escaldante do Alentejo.
Homens:  
Domingueiro: Jaqueta e colete de astracã preta; cinta de algodão preta; calça preta à boca de sino; camisa branca; lenço branco, bordado com o nome do cantador; chapéu preto.
Ceifeiro: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do cantador; chapéu preto; algibeira separada atada à cintura; foice e canudos de cana para os dedos das mãos, como adereços.
Pastor: Camisola de trabalho, de várias cores; calça de cotim "militar; jaqueta de saragoça; pelico; safões de pele; chapéu preto; cajado; corna.
Varejador: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do cantador; chapéu preto; vara de varejar.
Tirador cortiça: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do canta dor; chapéu preto; machado corticeiro. 
Ganhão: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do cantador; chapéu preto; foeiro e manta.
Mulheres:
Ceifeira: Camisa de cores, saia comprida, apanhada entre pernas; lenço colorido, apanhado de rebuço; chapéu preto; meia de linha, de cor; bota de cabedal de cano, com atacadores; mangueiras; punhos; avental, em regaço; alcofa para o farnel.
Mondadeira: Camisa de cores, saia comprida, apanhada entre pernas; lenço colorido, apanhado de rebuço; chapéu preto; meia de linha, de cor; bota de cabedal de cano, com atacadores; mangueiras; punhos; avental, em  regaço; sacho.

- Histórico: Têm uma média de 25 a 30 actuações por ano, com desempenhos de Norte a Sul do País. Os mais significativos têm expressão nos Encontros, desfiles e festas, no Alentejo e na zona da grande Lisboa. Actuaram para a televisão:
·         Programa Lusitânia Expresso, no Canal 1 da RTP;
·         Programa Apanhados, na SIC;
·         Programa Portugal Português, na TVI - 2 actuações.
Actuaram na Casa do Alentejo, nas Tardes culturais.
Desfilaram na Av. da Liberdade, até ao Parque Eduardo VII.
Actuaram em Valença do Minho e Alcanena.

- Registos Fonográficos:
1997 (K7): GRUPO CORAL COOP GRÂNDOLA (registo sonoro). Edição: Iberdisco - Sacavém
Cota: FF  CA K7-0011


2004 (K7) Edição: Canto Lindo, Almada.
2004 (CD) Edição: Canto Lindo, Almada.

- Repertório: Fazem parte do seu reportório as seguintes "modas": Grândola já tem; Meu lindo Alentejo; Setúbal, tu és Distrito; Meu querido Alentejo; É tão grande o Alentejo; Alentejo és um encanto; Morena de raça; Borboleta mensageira; Lindo ramo, verde escuro; Jovem pastorinha; O Alentejo, dá pão; Lembra-me os tempos passados; Meu lírio roxo; Ao romper da bela  aurora; Os trabalhadores passam a cantar; Olha o passarinho; Meu concelho é Grândola.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização). De JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s 259/262.

quinta-feira, março 09, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

ALCÁCER DO SAL - Torrão

Grupo Coral Feminino Cantares do Xarrama
Sociedade Primeiro de Janeiro Torranense
Rua 1º. de Janeiro
7595 Torrão





Ficha Técnica:
- Fundado em 1986, o Grupo tem um historial de 17 anos de existência com uma particularidade, interessante a referir: a Senhora que impulsionou a formação do grupo não nasceu no Alentejo, mas vive há muitos anos nesta vila; aqui casou, aqui lhe nasceram os filhos e aqui se apaixonou pelo cante alentejano. Além de saber cantar (gosta tanto de o fazer), concretizou o sonho de formar um grupo.

- Com os seus 18 elementos, de vários escalões etários, muito dificilmente e por circunstâncias várias consegue actuar na totalidade.

- De realçar que nenhum elemento deste Grupo sabe música.

- Ensaiam sozinhas e põem no ar as suas "cantigas" às Quintas Feiras, na Soc. 1º. de Janeiro Torranense, às 21 horas.

- O Grupo é composto por 19 elementos:              
- Trajo: Camisa verde (Seara); Saia Preta (Azeitona).

- Histórico: Estrearam fora da sua terra, em 1987 e na Casa do Alentejo em Lisboa. Durante a sua existência já contam com  mais de três centenas de actuações, por todo o País. Têm uma média, anual de 15 a 20 vezes, de acordo com as solicitações. Participam com regularidade em Encontros de Grupos Corais, Desfiles e Festas. De salientar as actuações:
·        no Teatro Luísa Todi em Setúbal;
·        no Festival de cinema em Tróia;
·        no Pátio Alfacinha;
·        no Onda Park da Costa da Caparica;
·        na Aula Magna em Lisboa;
·        no Centro Cultural de Lisboa
       
- Registos Fonográficos:
1988 – (K7) S/T (Registo Sonoro). Edições Carlino.
Cota: FF CA K7-0066

1993 – (K7) Torrão de Alicante. Edição de Alberto Oliveira
Cota: FF CA K7-0006

1999 – (K7) A minha terra é o Torrão. Edição de V. R. - Estúdio Editora – Alcácer do Sal
Cota: FF CA K7-0090

2004 – (CD) Canções camponesas de Portugal. Edição de Canto Lindo Espectáculos Culturais
Cota: FF CA CD-0052

- Repertório: As "cantigas" que tem no seu repertório, são autoria de um grande Senhor da música, do teatro e da poesia, que nasceu nesta Vila. O sempre lembrado Vicente Rodrigues. Alguns elementos, que fizeram parte do grupo de teatro, coordenado por Vicente Rodrigues, com a experiência aí colhida foi mais fácil cantar as suas "cantigas". A família de Vicente Rodrigues ofereceu à Junta de Freguesia do Torrão, todo o seu espólio cultural e é aí que os membros do Grupo vão escolher as "cantigas". Salientamos: Ó Xarrama; Ai que o Sol já vai a pino; Trigueirinha; Chegou a Primavera; A flor do rosmaninho; Olha lá tu ó poeta; Onde estás tu; Primavera; Ó Xarrama dos penedos; O tomilho; As leiteirinhas; Torrão de Alicante; Flores da Minha Terra; Trevo; Ceifeiro; Toda a terra tem um fado; Desejo alentejano; Canto à Terra; Amora negra; Verde; O Rio Xarrama hino).

- Objectivos: Levar o Cante Alentejano por este País fora.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização), de JFP. Edições Margem. 1997. 255/257.

quarta-feira, março 08, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais Instrumentais:

SANTIAGO DO CACÉM – Alvalade do Sado

Grupo Coral e Instrumental de Alvalade do Sado
Junta de Freguesia de Alvalade do Sado
7565 Ermidas do Sado



 Ficha Técnica:             

. O Grupo foi fundado em 1956.

. Ensaiam às Quintas feiras, à noite.

. Realizam o seu Encontro, anualmente, em Agosto.

. O Grupo é composto por 24 elementos:

. Instrumentos:  Acordeão; Banjo; Viola; Bombo; Cavaquinho; Pandereta; Ferrinhos.

. Trajo: Homens: Calça preta; Colete preto; Camisa banca, lisa; Lenço azul; Meia branca; Sapato preto. Mulheres:  Saia preta; Blusa branca; Lenço azul; Sapato preto.

. Histórico: Tem actuado de Norte a Sul do País, em Festas e Encontros de Grupos Corais, fazendo uma média de 18 a 20 actuações por ano.

. Registod fonográficos: Um "LP", um "single" e 10 cassetes audio.
1989 (K7): Canta, canta passarinho (registo sonoro)
- Edição: DUALSOM
Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0067


. Repertório: Baseiam o seu reportório, na música tradicional alentejana, com as adaptações feitas pelos elementos do Grupo, à sua vertente instrumental. As letras são da responsabilidade do Sr. Francisco Marques.
1989 (K7): Canta, canta passarinho (registo sonoro)
- Edição: DUALSOM
- Modas: Canta, canta passarinho; Já lá vem rompendo aurora; Alvalade é nossa terra; Passarinho do Alentejo; Vejam bem os passarinhos; Sou um jovem pastorinho; Passarinhos não falam mas cantam; Alentejo, casas brancas.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização). De JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 265/266.

terça-feira, março 07, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais Instrumentais:

SANTIAGO DO CACÉM – Ermidas Sado:

Grupo Coral e Instrumental "Os Afluentes do Sado"
Rua do Olival Redondo, 12
Alvalade
7565 Ermidas do Sado




Ficha Técnica:

. O Grupo foi fundado em 1984.

. Ensaiam às Sextas feiras, à noite, na Cantina da Escola Primária.

. O Grupo é composto por 17 elementos.

. Instrumentos: Acordeão; Banjo; Viola; Bombo; Ritmo.

. Trajo: Calça azul escura; Colete azul escura; Camisa azul clara; Lenço rameado de diversas cores; Sapato preto.

. Histórico: Tem actuado de Norte a Sul do País, em Festas e Encontros de Grupos Corais.

. Registos fonográficos: Três "LP", um "single" e 10 cassetes audio, desde a sua fundação.
1993 (K7): Toda a vida fui pastor (registo sonoro)
- Edição: DUALSOM
Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0068

1994 (K7): Rio Sado (registo sonoro)
- Edição: DUALSOM.
Cota FaiAlentejo: FF CA K7-0069

1995 (K7): Passarinho do campo (registo sonoro)
- Edição: DUALSOM
Cota FaiAlentejo: FF  CA K7-0070 


. Reportório: Fazem parte as modas que se cantam por todo o Alentejo, com as adaptações feitas pelos elementos do Grupo, à sua vertente instrumental.
1993 (K7): Toda a vida fui pastor (registo sonoro) - Edição: DUALSOM. - Modas: Toda a vida fui pastor; Jardim da Primavera; Barragem do Alqueva; Praias do Sul; Moça bonita; o Emigrante; Portugal és pequenino; Tenho um corpo semeado.
1994 (K7): Rio Sado (registo sonoro) - Edição: DUALSOM. - Modas: Rio Sado; Vêem-se grandes trigais; Caçador (cão apanha o pato); Rosa encarnada; Pastorinha alentejana; Pediste uma laranja; Já nada é como era; Linda Rita; Cigano Alentejano.
1995 (K7): Passarinho do campo (registo sonoro) - Edição: DUALSOM - Modas: Passarinho do campo; Princesa do Sado; Flor de Amendoeira; Alentejo tem; O pequeno agricultor; Quanto mais linda é a rosa; Alentejo é terra linda; Quero deixar a cidade.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização). De JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 263/264

segunda-feira, março 06, 2017

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

SANTIAGO DO CACÉM – Cercal do Alentejo

Grupo Coral da Casa do Povo de Cercal do Alentejo
Casa do Povo de Cercal do Alentejo
7555 Cercal do Alentejo



 Ficha Técnica: 

- O Grupo foi fundado em 1 de Maio de 1974.

- Ensaiam à Sexta feira, à noite.

- O Grupo é composto por 23 elementos.

- Trajo: Camisa branca; Calças pretas; Colete preto, com distintivo da Casa do Povo do Cercal do Alentejo; Lenço garrido de cores vermelhas, verdes e brancas.

- Histórico: Tem desempenhos de Norte a Sul do País, com especial significado, para as actuações, no Alentejo e na zona da grande Lisboa, onde normalmente participam em Encontros de Grupos Corais. Têm uma média de 15 a 20 actuações por ano.

- Registos Fonográficos:
2003 (K7) “O meu concelho é Santiago”. Edição de João Mateus e Fernando Júdice.
2003 (CD) “O meu concelho é Santiago”. Edição de João Mateus e Fernando Júdice.

- Repertório: Do seu reportório, fazem parte as "modas" que se cantam por esse Alentejo, com a influência, natural, da zona onde estão inseridos e o momento actual: Meu Alentejo querido; O Alentejo era um jardim; Jovem pastorinha;
Foi no Alentejo que abrimos os olhos; É tão grande o Alentejo; Os Mineiros; O nosso Alentejo é lindo; Alentejo dos trigais; Rapsódia; Alentejo é a nossa terra; A Barragem do Alqueva; A minha varanda; Já não se veem os capos; Alentejo, Alentejo; Quando canta o Alentejo;

in: Corais Alentejanos, (em actualização) de JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s: 267/268.

NOTA: Grupo em actividade.

Mais informação deste grupo em:

domingo, março 05, 2017

TRATADO DO CANTE – Grupos Corais:

SINES – Sines

Grupo Coral dos Amigos da Boa Vontade de Sines
Quinta dos Passarinhos, Lote 92
7520 Sines


Ficha Técnica:             

. O Grupo foi fundado em 1981.

. Ensaiam aos Domingos, à tarde, na Escola Primária da Quinta dos Passarinhos.

. Realizam o seu Encontro de Grupos Corais, anualmente, em Julho.

. O Grupo é composto por 18 elementos.

. Trajo: Calça azul, escura; Colete azul, escuro; Camisa branca; Lenço rameado, com fundo vermelho.

. Histórico: Tem uma média de 10 a 15 actuações por ano, com desempenhos por todo o País, com especial incidência no Alentejo e na zona da grande Lisboa, onde se realizam Encontros de Grupos Corais, Desfiles e Festas. Destacamos algumas actuações: Casa do Alentejo, em Lisboa; Tires; Ervidel; Sines; Porto Côvo; Cercal do Alentejo; Avis; Alvalade de Sado; Baixa da Banheira; Odemira.

. Repertório: Fazem parte do seu reportório as "modas" que se cantam por todo o Alentejo e que resistiram ao tempo. Fizeram algumas adaptações, às letras, considerando o momento actual e a zona onde se encontram inseridos, da responsabilidade dos elementos do Grupo.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização). De JFP. Edições Margem. 1997. Págs.: 269/270.