sexta-feira, março 10, 2017

TRATADO DO CANTE - Grupos Corais:

GRÂNDOLA – Grândola:

Grupo Coral e Etnográfico "COOP" da Cooperativa de Consumo de Grândola
Largo Zeca Afonso
7570 Grândola




Ficha Técnica:  
                 
- Pode dizer-se que o Grupo Coral "COOP" nasceu na tarde de, Sábado, 8 de Maio de 1993, no Salão Social da Cooperativa de Consumo de Grândola. A ideia da sua criação partiu de José Raimundo Salgado de Jesus que, depois de conseguir o apoio da Direcção da referida Cooperativa, encetou diversos contactos no sentido da constituição do Grupo.

- Ensaiam às Sextas feiras, à noite.

- Realizam o seu Encontro Anual de Grupos Corais, no 1º. Sábado a seguir a 8 de Maio.

- O Grupo é composto por 20/25 elementos.

- Trajo: Reivindicando as suas raízes alentejanas, o Grupo Coral "COOP" tem como objectivo principal a preservação e divulgação desta cultura, não abdicando da utilização de trajes tradicionais como os dos trabalhadores rurais. Entre os actuais elementos, pontua ainda o vestuário tradicional, atrevemo-nos mesmo, a dizer simbólico, utilizado ao longo dos tempos e até há ainda não muito, pelo maioral, o pastor, o ganhão, ou o lavrador. A mulher não é esquecida e lá estão uma mondadeira e uma ceifeira que não deixam esquecer as agruras do trabalho ao sol escaldante do Alentejo.
Homens:  
Domingueiro: Jaqueta e colete de astracã preta; cinta de algodão preta; calça preta à boca de sino; camisa branca; lenço branco, bordado com o nome do cantador; chapéu preto.
Ceifeiro: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do cantador; chapéu preto; algibeira separada atada à cintura; foice e canudos de cana para os dedos das mãos, como adereços.
Pastor: Camisola de trabalho, de várias cores; calça de cotim "militar; jaqueta de saragoça; pelico; safões de pele; chapéu preto; cajado; corna.
Varejador: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do cantador; chapéu preto; vara de varejar.
Tirador cortiça: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do canta dor; chapéu preto; machado corticeiro. 
Ganhão: Camisola de riscado, aos quadradinhos, azul e branco; colete de cor; calça de cotim "militar"; lenço branco rameado e bordado com o nome do cantador; chapéu preto; foeiro e manta.
Mulheres:
Ceifeira: Camisa de cores, saia comprida, apanhada entre pernas; lenço colorido, apanhado de rebuço; chapéu preto; meia de linha, de cor; bota de cabedal de cano, com atacadores; mangueiras; punhos; avental, em regaço; alcofa para o farnel.
Mondadeira: Camisa de cores, saia comprida, apanhada entre pernas; lenço colorido, apanhado de rebuço; chapéu preto; meia de linha, de cor; bota de cabedal de cano, com atacadores; mangueiras; punhos; avental, em  regaço; sacho.

- Histórico: Têm uma média de 25 a 30 actuações por ano, com desempenhos de Norte a Sul do País. Os mais significativos têm expressão nos Encontros, desfiles e festas, no Alentejo e na zona da grande Lisboa. Actuaram para a televisão:
·         Programa Lusitânia Expresso, no Canal 1 da RTP;
·         Programa Apanhados, na SIC;
·         Programa Portugal Português, na TVI - 2 actuações.
Actuaram na Casa do Alentejo, nas Tardes culturais.
Desfilaram na Av. da Liberdade, até ao Parque Eduardo VII.
Actuaram em Valença do Minho e Alcanena.

- Registos Fonográficos:
1997 (K7): GRUPO CORAL COOP GRÂNDOLA (registo sonoro). Edição: Iberdisco - Sacavém
Cota: FF  CA K7-0011


2004 (K7) Edição: Canto Lindo, Almada.
2004 (CD) Edição: Canto Lindo, Almada.

- Repertório: Fazem parte do seu reportório as seguintes "modas": Grândola já tem; Meu lindo Alentejo; Setúbal, tu és Distrito; Meu querido Alentejo; É tão grande o Alentejo; Alentejo és um encanto; Morena de raça; Borboleta mensageira; Lindo ramo, verde escuro; Jovem pastorinha; O Alentejo, dá pão; Lembra-me os tempos passados; Meu lírio roxo; Ao romper da bela  aurora; Os trabalhadores passam a cantar; Olha o passarinho; Meu concelho é Grândola.


In: “Corais Alentejanos” (em actualização). De JFP. Edições Margem. 1997. Pág.s 259/262.

Sem comentários: