quarta-feira, maio 11, 2016

TRATADO DO CANTE - Escrito:

ALENTEJANO

Igual às oliveiras resistes
aos sóis de inferno.
Caminhas sem vergonha
na tua terra.
É tão custoso 
acariciá-la com
brisas de esperança,
as mãos doridas
de tanto amor.

Alentejano,
a tua gota de suor
ensina-me a respirar.

Não é fácil erguer
um palácio de palavras
e sedes.

Não é fácil viver
de pé a cantar.

in: "O Sabor da Cal", de Luís Filipe Maçarico. Edição da Câmara Municipal de Beja. 1997. pág. 32.


Nota: o destaque é da minha responsabilidade.

1 comentário:

oasis dossonhos disse...

Muito grato por esta referência. Grande abraço.